You are here
Home > Negócios > Estar Digital aumenta em 4 vezes a eficiência fiscalizatória dos municípios

Estar Digital aumenta em 4 vezes a eficiência fiscalizatória dos municípios

Com o avanço da tecnologia e o aumento do acesso da população à ela, é cada vez mais comum que os serviços urbanos migrem para plataformas digitais. Este é o caso de algumas cidades em que as vagas de estacionamento rotativo já podem ser gerenciadas por aplicativos, ou seja, ao invés do uso de talões de papéis, um sistema automático para checagem, pagamento e validação destas vagas é utilizado.

Com o Estar Digital, o cidadão pode, através de seu celular ou mesmo no comércio local, acessar e escolher as opções de tempo (que pode ser fracionado de acordo com o município) em que deixará seu carro estacionado em uma vaga regulamentada.

Além da comodidade e praticidade gerada ao condutor, esta tecnologia possui diversas vantagens, como por exemplo, o fim da impressão de talões e blocos de multas. Ou seja, gera uma economia considerável aos cofres públicos e trata-se de uma solução sustentável.

Segundo Antônio Carlos de Sá, diretor da Estar Digital, o sistema também auxilia a fiscalização, gerando uma eficiência de até 85%. “Sem o uso dos talões de papel, o sistema de fiscalização tem um incremento substancial, gerando agilidade no processo e uma transparência muito maior ao cidadão, pois todo o sistema é integrado e conectado. Atualmente, com o uso de talões, a eficiência fiscalizatória não chega a 20%”, diz Antônio.

O diretor conta ainda que através de estudos realizados pela plataforma, de cada 10 vagas, apenas 1,5 vaga consegue ser monitorada em tempo real através do sistema via blocos de papel. Ou seja, a automatização do estacionamento rotativo pode gerar à fiscalização um aumento de eficiência em até quatro vezes, beneficiando a democraticação das vagas de estacionamento rotativo; a segurança do trânsito, com a detecção de infrações; e até mesmo à segurança urbana com o rastreamento de veículos clonados e roubados. 

Tecnologia intuitiva: veja como usar

Como qualquer mudança envolvendo tecnologia, é comum a ocorrência de algumas dúvidas e perguntas sobre o uso do Estar Digital, como, por exemplo, o que fazer caso o usuário não tenha um smartphone em mãos ou esteja sem um pacote de internet para acessar o aplicativo. “Para esse tipo de situação, o acesso ao Estar Digital pode ser feito de outras maneiras.Uma delas é validando e pagando o uso da vaga na rede de comércio local através do sistema Pague Fácil, que credencia o comércio para recebimento do pagamento, que pode ser feito inclusive com cartão de crédito ou débito, algo que não ocorria com o talão”, explica Antônio.

Uma outra opção é a compra e ativação do bônus automático. O usuário pode realizar pela internet ou na sede do órgão de controle local e autorizar a ativação automática para 30 minutos de uso. Quando o agente fiscalizador checar a placa do veículo, o sistema automaticamente informará que este é um veículo habilitado e o valor referente aos 30 minutos daquela vaga será descontado. Vale lembrar que o usuário deve manter um crédito igual ou superior ao valor de 30 minutos e que o uso da vaga não exceda o tempo de 2 horas.

“O Brasil é um dos únicos países que utilizam blocos de papel para notificações e validações no trânsito. Em pleno 2020, é difícil imaginar que soluções automatizadas e que facilitam a vida do cidadão tenham tal barreira de entrada, visto que a integração e automatização de serviços públicos trazem inúmeros benefícios à gestão pública das cidades”, conclui Antônio de Sá.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top