You are here
Home > Trabalho/Emprego > Transição de carreira não é tão difícil quanto parece

Transição de carreira não é tão difícil quanto parece

Mesmo antes da pandemia e da crise brasileira, muitas pessoas já pensavam em mudar de ramo, seja por insatisfação na sua atuação, ou melhora financeira. É normal que na situação de pressão vivenciada atualmente, muitos queiram ficar na zona de conforto e outros sair empreendendo em todos os negócios que veem pela frente.

Diante da crise ou até mesmo fora dela, é importante que o empreendedor analise o cenário em que se encontra e saiba organizar o momento para passar pelo processo de mudança. A busca por um trabalho que seja valorizado é uma grande motivação para começar.

Madalena Feliciano (foto), gestora de Carreira, afirma que ”este novo mundo valoriza cada vez mais o desenvolvimento de competência dos empregados, não apenas os diplomas, mas também as novas habilidades que o mercado exige”.

Para quem gostaria de se lançar em uma nova carreira existem alguns pontos fundamentais a serem seguidos:

1) Saber quais são as suas capacidades, até onde você pode ir e ousar dentro do mercado, qual o diferencial que está sendo buscado;

2) Conhecer as suas motivações, os incômodos, e quais são os desafios que podem ajudar;

3) Ao conhecer o seu perfil como trabalhador, você se encaixa mais como: planejador, executor ou líder?

4) Saber se comunicar de forma eficiente com a equipe;

5) Entender que os desafios podem chegar a qualquer momento e que deverão ser encarados;

6) Ampliar a visão sobre o mercado e saber escolher as melhores oportunidades;

7) Saber trabalhar aliado a inovação e criatividade;

8) Aprender a gerar cada vez mais resultados e analisar os erros de cabeça erguida.

Para que as chances de um retorno sejam positivas, o empreendedor deve olhar com afinco quais a causas de insatisfação no ramo atual, porque acha que mudar a carreira será benéfico e quais as experiências adquiridas com o tempo que podem ajudar neste processo.

Fora isso, é importante pesquisar o setor que está interessado, o público, os produtos, os gastos e o retorno. Avalie quanto tempo poderá se sustentar se decidir renunciar ao que tem agora, as vezes uma perda temporária se faz necessária para o planejamento do futuro e você não deve se deixar abalar.

Segundo Madalena, “o primeiro passo é ter a coragem de mudar, de sair da sua zona de conforto e inovar. Com uma organização e planejamento efetivo muitas opções podem se abrir na sua frente”.

O esforço deve ser total nesta nova etapa da vida, mas um olhar apurado e humildade levam ao sucesso e mesmo se não der certo de imediato saber se replanejar e levar o negócio adiante é essencial, conclui.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top