You are here
Home > Finanças > Pesquisa revela quem são as mulheres que estão despertando mais interesse pelo universo dos investimentos

Pesquisa revela quem são as mulheres que estão despertando mais interesse pelo universo dos investimentos

A plataforma de educação financeira Me Poupe! realizou uma pesquisa para identificar o perfil da mulher investidora no Brasil. Elas são, em sua maioria, casadas (57%), com filhos (70%) e trabalhando em empresas privadas (53%). O estudo aponta, ainda, que mulheres estão cada vez mais independentes e interessadas em diferentes modalidades de investimento. Para Nathalia Arcuri, CEO e fundadora da empresa, ter figuras femininas à frente de conteúdos e canais de comunicação têm sido ponto fundamental para essa democratização.

Veja os dados completos coletados em parceria com a Toluna, fornecedora líder de insights do consumidor sob demanda, com elaboração da consultoria de insights aplicados IMO Insights, que ouviu 866 pessoas, entre 1 e 3 de março de 2021, em todo o território nacional.

  • ELAS SÃO JOVENS: Entre as entrevistadas, 21% disseram ter iniciado com os investimentos entre 19 e 24 anos. O número se torna ainda mais interessante quando comparado ao universo masculino, onde os que começaram com a mesma faixa etária representam apenas 11%. 33% delas possuem entre 25 e 34.
  • ELAS COMEÇAM COM MENOS DINHEIRO: A maior parcela das mulheres (25%) começa a investir a partir de  um salário a partir de R$3 mil. Ainda em comprovação ao dado, a pesquisa aponta que, quando comparado aos homens, entre os investidores que ganham menos de R$1.045,00, 58% são mulheres. 
  • ELAS SÃO MAIS INDEPENDENTES: A porcentagem de mulheres que decide sozinha onde investir é de 38% contra 35% de homens que tomam a mesma decisão sem consultar ninguém. 
  • ELAS SÃO MAIS POUPADORAS: A modalidade preferida de investimento do brasileiro continua sendo a poupança, cerca de 53% dizem guardar dinheiro dessa forma. Quando olhamos o recorte homens vs mulheres, vemos que elas são ainda mais poupadoras: 57% dizem apostar na modalidade, contra 49% dos homens.
  • MAS JÁ ESTÃO ATENTAS A NOVAS MODALIDADES: Outro dado relevante, se diz ao interesse das mulheres que já investem por novas modalidades: apenas 9% disseram apostar no mercado de ações há mais de um ano. Quando falamos do período de 6 meses a 1 ano, este número sobe para 20% de mulheres investindo na modalidade. Ainda sobre o tema, somente 6% delas apontaram investir no Tesouro Direto há mais de um ano. Já no grupo que disse investir entre 6 meses a 1 ano, temos 19% da amostra optando por esta modalidade.
  • ELAS INVESTEM PENSANDO EM UM FUTURO MELHOR: Quando perguntadas sobre quais motivos as levam a investir, a maior parte delas – cerca de 58% – dizem que querem realizar planos para o futuro. Em segundo lugar, 38% dessas mulheres se preocupam em melhorar a renda da família hoje.
  • COMPRAR UMA CASA É O DESEJO DAS INVESTIDORAS: Para essas mulheres, planos para o futuro significam, principalmente, comprar uma casa própria (28%). Na sequência, vemos os seguintes objetivos: ter estabilidade financeira (21%), uma aposentadoria tranquila (17%), fazer a viagem dos sonhos (17%) e abrir o próprio negócio (10%).

 “Segundo outra pesquisa, divulgada pela B3, 73% dos brasileiros buscam informação sobre finanças via influenciadores digitais. O impacto e a responsabilidade do Me Poupe!, que é o maior canal de finanças do mundo, se mostra em números: em 2015, com apenas 6 inscritos, havia 139.856 mulheres investindo no Tesouro Direto e 132.427 na Bolsa de Valores. Dois anos depois, já com 1,1 milhão no canal, éramos 141.738 mulheres na Bolsa de Valores e 504 mil no Tesouro Direto. Quando em 2020, começamos a falar com mais frequência sobre renda variável, chegamos a 5,6 milhões de inscritos, 2,9 milhões de mulheres no Tesouro Direto e 810 mil investindo na Bolsa de Valores”, diz Nathalia. 

O comparativo 2018 x 2020, significa um aumento de 400% no número de mulheres presentes na Bolsa. Quando falamos do número de homens que, no mesmo período, foi de 643 mil para 2,2 milhões, vemos um crescimento de 342%. Essa diferença, mesmo que ainda pareça pequena, demonstra que o crescimento do público feminino está mais acelerado que do masculino.

“Estamos 23% acima do crescimento dos homens e para seguir fazendo história definimos, na Me Poupe!, uma nova meta para 2021: elevar o percentual de mulheres investindo na Bolsa para 30% até o fim do ano”, finaliza a especialista.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top