You are here
Home > Finanças > Ano dos IPOs: como se planejar para abrir capital

Ano dos IPOs: como se planejar para abrir capital

Espera-se que cerca de 100 empresas brasileiras realizem IPO até o fim do ano, um recorde. Só no primeiro semestre de 2021, foram 28 ofertas públicas de ações no país, o mesmo que em 2020 inteiro. Atualmente, há mais de 30 empresas ainda aguardando na fila da B3, a bolsa de valores brasileira. E a visão dos especialistas é positiva para os próximos meses.

Com a grande quantidade de empresas brasileiras aproveitando esse caminho para captar recursos, ter um negócio robusto e em ascensão não é suficiente. Para um IPO de sucesso é preciso que a gestão financeira esteja em dia e funcionando de forma excepcional.

“É importante que as empresas transformem seus números em resultados positivos para o mercado, para as pessoas e para toda a economia”, diz Goldwasser Neto, cofundador do Accountfy, plataforma SaaS de gestão robusta e inteligente de performance corporativa.”Por isso, é importante investir em uma ferramenta que analise e apresente os resultados para os investidores da maneira mais transparente possível.”

Para se preparar para um evento como esse, o executivo lista alguns pontos de atenção para as empresas que querem abrir capital:

Consistência e confiabilidade dos números

Primeiro, é importante se assegurar de que as informações corretas estão sendo apresentadas. Uma forma de fazer isso com segurança e confiabilidade é investir em uma ferramenta de gestão e controle de dados. Isso ajuda a eliminar planilhas e inserçõesmanuais.. “Consolidar os números dentro de uma plataforma de gestão, assegura a padronização e comparabilidade das divulgações financeiras, possibilitando consistência, o que é primordial para o processo de referência cruzada”, afirma Neto.

Estruturas gerenciais

Ao entrar na fila da B3, é importante ter uma análise minuciosa da saúde da empresa. A área financeira deve analisar os planos de contas e organizar suas estruturas gerenciais de acordo com o modelo de negócio, tornando viável a estruturação das Demonstrações Financeiras em conformidade com normas e requerimentos.

Demonstrações financeiras

Esses documentos precisam sempre estar em dia, atualizados e com os números corretos, oferecendo transparência e mantendo a governança da empresa. Uma plataforma de gestão corporativa permite a visualização e edição das principais demonstrações como balanço patrimonial, DRE, DMPL e outras.

Consolidação

A consolidação é fundamental para grupos que buscam injeção de capital – como no caso do IPO – e para a manutenção da Governança Corporativa. Na prática, ela também facilita a visualização da saúde financeira das empresas, tanto agrupadas quanto analisadas isoladamente. O uso de uma plataforma de gestão de performance permite que a consolidação seja feita com mais rapidez, com rastreabilidade dos números e permitindo uma visão mais clara das informações.

Modelagem financeira e reportes

Por fim, não basta acompanhar a situação financeira da empresa, um papel relevante do gestor é prever diferentes conjunturas para se planejar e conseguir reagir rapidamente às novidades, isso é possível com a modelagem financeira. Já os reportes e painéis de análises de dados dão suporte à área de relacionamento com investidores, dando visibilidade do desempenho e das decisões tomadas pela empresa.
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top