You are here
Home > Finanças > Planejamento pode evitar que consumidor comece o ano com dívidas

Planejamento pode evitar que consumidor comece o ano com dívidas

Pagamento do cartão de crédito é fundamental, uma vez que os juros são bastante elevados

Todo começo de ano é a mesma coisa: contas e contas para pagar. IPTU, IPVA, matrícula escolar e materiais, no caso de quem tem filhos, e até o pagamento das compras do Natal do ano anterior, feitas com cartão de crédito. Como se organizar financeiramente para não entrar no vermelho e acumular dívidas? É melhor pagar à vista ou parcelar?

Para o especialista da Proteste, Rodrigo Alexandre, o ideal é que o consumidor se organize para evitar o endividamento. “É importante ter uma reserva para possíveis imprevistos”, ressalta. “Evite parcelar qualquer compra, mesmo que seja sem juros. O que em princípio parece vantajoso, principalmente quando não há juros envolvidos, pode fazer com que se perca a visão do conjunto todo. Aí, quando o consumidor se dá conta, há várias pequenas parcelas, que podem se tornar em grandes dívidas no final do mês, a ponto de não ter como quitá-la”, completa.

No caso dos tributos, tanto o IPVA quanto o IPTU, se o consumidor conseguiu se organizar ao longo do ano, é possível pagar à vista, com desconto. Em 2020, o IPTU em São Paulo ficou 3% mais barato e, no Rio de Janeiro, 7%. Já o IPVA teve desconto de 3% nas duas cidades.

Porém, se o valor poupado estiver aplicado, é preciso fazer as contas para avaliar se o desconto vale a pena ou não. No caso de investimentos de baixo risco, provavelmente o pagamento à vista é válido, já que o rendimento será menor que o desconto. No entanto, se o valor estiver em aplicações com maior rentabilidade, é importante analisar caso a caso.

Saiba mais sobre os tributos

IPTU

O Imposto Sobre Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) é um tributo anual que incide sobre todos os proprietários de imóveis e terrenos. Ele é de responsabilidade dos municípios, portanto, cada cidade define o valor e o percentual de desconto para pagamento à vista.

O cálculo é feito considerando o valor venal da propriedade, sobre o qual incide uma alíquota, definida por cada município. O vencimento varia conforme a cidade e a data em que o proprietário recebeu o carnê de pagamento, mas, na maior parte dos casos, é no mês de fevereiro.

Vale destacar, ainda, que o IPTU incide somente sobre as propriedades urbanas. Propriedades rurais são taxadas, mas com o Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (ITR).

IPVA

O Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) deve ser pago por todos os proprietários de veículos, em até três parcelas ou à vista; se o contribuinte optar por pagar em cota única, pode ter desconto. Assim como o IPTU, o valor também é calculado a partir do valor venal, definido pelo estado em que está registrado.

O ano e o modelo do veículo influenciam na taxa, assim como a categoria. O vencimento de cada parcela varia de acordo com o número final da placa do veículo.

Avalie outras despesas e evite acumular dívidas

Além do pagamento dos tributos, possivelmente em janeiro o consumidor tem outras contas a pagar, como a fatura de seu cartão de crédito com as compras do fim de ano, a matrícula escolar dos filhos e a compra dos materiais didáticos.

Para Rodrigo, o pagamento do cartão de crédito é fundamental, uma vez que os juros são bastante elevados. Então, se o dinheiro não der para todas as despesas, vale mais a pena quitar o cartão e parcelar os tributos.

Para quem tem filhos em escolas particulares e despesas com materiais, é preciso também avaliar a possibilidade de pagamento da anuidade, com desconto, ou optar por mensalidades. “Os colégios cobram uma anuidade, que pode ser dividida em parcelas mensais, ou seja, a mensalidade é referente à anuidade contratada no início do ano”, explica Henrique Lian, diretor de relações institucionais da PROTESTE.

Em muitos colégios, ao pagar a anuidade logo no início do ano, é possível obter um bom desconto. No entanto, para isso, é preciso que a família tenha o valor disponível e que, da mesma forma que os tributos, o desconto seja mais vantajoso do que o rendimento de uma aplicação financeira.

Já em relação ao material escolar, muitos colégios promovem trocas de livros, especialmente de materiais paradidáticos, o que garante alguma economia. Além disso, para outros itens, como cadernos, lápis, caneta, apontador, papéis diversos, entre outros, conte com a ajuda da PROTESTE. Todo ano, em janeiro, a organização faz um levantamento apontando os melhores preços do mercado. Caso pretenda fazer compras on-line, utilize o comparador de preços Mais Barato.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe um comentário

Top