Como recrutar para nichos menos celebrados pelo mercado?

Como recrutar para nichos menos celebrados pelo mercado?

Política estruturada de benefícios e ofertas fixas de treinamentos capacitatórios são algumas das dicas apontadas

Empresas lutam contra a escassez de mão de obra qualificada e buscam constantemente novos talentos para performar dentro das organizações e garantir mais sucesso de negócios e vendas. O crescimento do comércio eletrônico e a necessidade de entregas rápidas impulsionaram a empregabilidade no setor de logística, mas criaram uma necessidade de profissionais mais qualificados e especializados, o que acaba sendo uma dificuldade no mercado. Com a complexidade das operações logísticas mais modernas, o setor requer talentos com habilidades muito específicas e grande conhecimento em tecnologia.

Nesse meio, outro ponto importante é que a demanda pelos melhores profissionais criou um mercado competitivo e as empresas agora estão disputando os mesmos talentos, tornando essencial a adoção de estratégias eficazes de retenção.

Vale observar as prioridades dos talentos em cada segmento: segundo uma pesquisa mundial realizada pela Gi Group Holding, multinacional italiana reconhecida como uma das líderes globais em soluções dedicadas ao desenvolvimento do mercado de trabalho, 69% dos profissionais de logística consideram os treinamentos contínuos e cursos de aprendizado como parte essencial para a boa performance e satisfação no trabalho. No Brasil, esse dado sobe para 79%.

Pensando nesse cenário, Vanessa Carlim, Head of People da RoutEasy, logtech que utiliza inteligência artificial em soluções de otimização e gestão de entregas para e-commerces e varejo, separou algumas dicas de como atrair e reter os melhores profissionais e vencer a competição do recrutamento e retenção de talentos:

1. O diferencial das condições de trabalho:

Oferecer ótimas condições de trabalho, com sistemas de recompensa, bons benefícios, políticas de bem-estar e remuneração acima da média podem ajudar no recrutamento de talentos, uma vez que os profissionais se sentem mais atraídos por empresas que zelam pelo bem estar do funcionário.

2. Incentivar o aprendizado é um diferencial:

“Hoje, os profissionais buscam empresas que ajudem no aprendizado e desenvolvimento constante de seus colaboradores através de cursos e treinamentos. A própria pesquisa da Gi Group Holding mostrou que o atual mercado de trabalho acredita que o aprendizado constante tem um papel essencial na boa performance do trabalhador. Essa condição pode ser um diferencial na hora de atrair os novos perfis”, completa Vanessa.

Na RoutEasy, por exemplo, a empresa fornece um benefício chamado de PDI, no qual eles realizam o pagamento de 30% do salário do colaborador analista de forma semestral para ajudar com o custo de uma nova graduação, curso ou especialização. A análise do estudo é feita pelo líder direto do funcionário e pelo líder de People da organização.

3. Diversificar os canais de recrutamento e comunicação por meio de IA e análise de dados:

Com o atual cenário competitivo de atração de talentos, é importante que as empresas diversifiquem os canais de comunicação para atingir os candidatos de diferentes maneiras e em múltiplos ambientes. “Nesse cenário, empresas também podem se beneficiar do uso de IA e da análise de dados para garantir revisões de currículos mais certeiras e gerar relatórios com tendências para estudo de melhora dos processos de recrutamento”, afirma Vanessa.

4. Fomentar uma imersão intensa na empresa:

Um diferencial grande na hora de recrutar profissionais é a imersão nas empresas. Organizações que levem os novos funcionários para um tour aprofundado sobre a companhia, sua operação e seus valores tendem a reter mais os talentos. Nesse meio, também é interessante tangibilizar a atuação da organização e demonstrar os seus reais impactos, o que aumenta a retenção de talentos, uma vez que cria uma conexão entre a empresa e o profissional a ser contratado.

5. Oferecer um plano de carreira bem estruturado

“Um diferencial nas empresas, nos dias atuais, é o oferecimento de um plano de carreira bem estruturado para os seus colaboradores, pensando sempre em investir nos talentos que já possuem dentro de casa. Nesse meio, organizações que pensam no funcionário e organizam planos de carreiras detalhados que invistam nos profissionais acabam se destacando no mercado”, afirma Vanessa.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *