Investimento a longo prazo: por que sair do aluguel e adquirir um terreno?

Investimento a longo prazo: por que sair do aluguel e adquirir um terreno?

Apostar na compra de um lote é uma forma de aplicar dinheiro em algo que será útil no futuro

A casa própria, por mais que seja o sonho de inúmeros brasileiros, também exige uma atitude de muitas pessoas: dar o primeiro passo e adquirir o terreno, para que seja possível pensar na construção da residência e, com isso, sair do aluguel. Visto como um investimento a longo prazo, além dos futuros moradores terem a liberdade para projetar o lar que sempre pensaram, trocar as faturas mensais do imóvel terceirizado pelas parcelas do lote próprio é uma forma de aplicar o dinheiro em algo que será de posse do indivíduo no futuro.

Quando se menciona a opção de sair do aluguel ao comprar um terreno e construir a casa, muitos não pestanejam e optam por investir em algo que será seu no futuro. O fato é confirmado a partir da pesquisa feita pelo Instituto Datafolha, em parceria com a plataforma Quinto Andar, em 2022.

Segundo os dados levantados, 87% dos brasileiros têm como meta comprar um imóvel. “Algo que será seu lhe dá muito mais opções no projeto arquitetônico. As pessoas podem pensar em quintais, pomares, canis, um espaço para as crianças brincarem, piscinas, dentre tantas outras coisas”, afirma a coordenadora comercial, Adna Alves.

Dessa maneira, enquanto no aluguel as modificações realizadas muitas vezes devem ser desfeitas na hora da entrega, a compra do terreno traz uma imensidão de possibilidades aos proprietários. Assim, uma das grandes vantagens, além da parte econômica, dado que a obra final será de propriedade total do dono, é construir cada ambiente de acordo com as necessidades e gostos pessoais.

Qual o momento certo para sair do aluguel?

A compra de um imóvel varia conforme a oscilação do mercado econômico, não existindo um momento ideal para sair do aluguel. No entanto, conforme afirma Cristina, um dos programas que facilita e serve como um empurrãozinho é o Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. “A partir das melhorias do MCMV, as pessoas podem financiar até R$ 350 mil por projeto. No entanto, um dos pontos importantes é a organização financeira, independentemente de quando a família opte por dar este passo”, explica Adna.

Nesse sentido, tendo em mente que muitas pessoas utilizam os benefícios do programa, a JS Empreendimentos apostou em diversos empreendimentos que se encaixam nos critérios, para que os interessados possam investir em construir seus lares em locais com infraestrutura completa. “Além de oferecermos condições facilitadas, conseguimos trazer diversas opções para nossos clientes, agradando tanto aqueles que desejam um lote mais amplo ou compacto. Como é o exemplo do Loteamento Reserva da Mata, que possui tanto lotes de 360m² quanto outros com 2000m²”, destaca.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *