Viagens corporativas voltam a crescer e apresentam um bom cenário para 2024

Viagens corporativas voltam a crescer e apresentam um bom cenário para 2024

Novas tendências prometem moldar um novo cenário nas viagens corporativas brasileiras

À medida que o cenário global se recupera dos desafios enfrentados nos últimos anos, as tendências de viagens corporativas no Brasil para 2024 revelam uma transformação significativa no modo como as organizações enxergam os deslocamentos de seus colaboradores. A flexibilidade e a tecnologia emergem como protagonistas nesse novo capítulo das viagens a trabalho e isso fica claro com a última edição do Levantamento de Viagens Corporativas (LVC) que revela que as despesas estimadas pelas empresas com esse tipo de viagens em setembro marcaram uma alta de 3,3% na comparação anual, chegando a R$ 10,87 bilhões.

A intensa demanda do setor corporativo por eventos, feiras e encontros presenciais mantém uma relação direta com o desempenho econômico, refletido no faturamento do setor e no crescimento do PIB. Guilherme Chiara, diretor de Engenharia e Produtos na Portão 3, uma plataforma de gestão de despesas e viagens corporativas para empresas da América Latina, destaca que a personalização das experiências de viagem também é uma tendência crescente. “Empresas estão priorizando o bem-estar dos colaboradores, oferecendo opções de hospedagem que atendam a necessidades específicas e promovam ambientes propícios para o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal”, diz.

Três tendências para 2024

  • Integração de tecnologia para gestão de viagens: A adoção de tecnologias avançadas, como inteligência artificial e aprendizado de máquina, para otimizar a gestão de viagens corporativas. Isso inclui sistemas mais inteligentes de reservas, relatórios automatizados e assistentes virtuais para facilitar a experiência do viajante.
  • Sustentabilidade e consciência ambiental: Um aumento na conscientização e priorização da sustentabilidade nas viagens corporativas. Empresas buscarão opções de transporte e hospedagem mais sustentáveis, reduzindo a pegada de carbono associada às suas atividades de negócios.
  • Flexibilidade e modelos de trabalho híbrido: Com a evolução dos modelos de trabalho, as viagens corporativas se adaptarão para atender a uma força de trabalho mais flexível. Isso incluirá políticas de viagem mais flexíveis, opções de trabalho remoto durante as viagens e estratégias que permitam maior equilíbrio entre vida profissional e pessoal para os viajantes corporativos.

Essas tendências prometem moldar um novo cenário nas viagens corporativas brasileiras, refletindo a busca por eficiência, personalização e responsabilidade ambiental. À medida que as empresas se adaptam, antecipamos uma era de deslocamentos mais estratégicos e alinhados às necessidades emergentes do ambiente de trabalho moderno.

Crédito da foto: Pixabay

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *