Inteligência Artificial nas pequenas e médias empresas já é realidade no Brasil

Inteligência Artificial nas pequenas e médias empresas já é realidade no Brasil

Tecnologia impulsiona crescimento, relacionamento com cliente e auxilia tomada de decisão

Até 2026, mais de 80% das empresas já terão usado IA Generativa, aquela focada na automação e no ganho de produtividade. A estimativa da Gartner, consultoria especializada em TI, encontra respaldo em estudos feitos por diversas entidades. A Goldman Sachs Economics Research, por exemplo, estima que, até 2025, as empresas invistam cerca de US$ 200 bilhões em IA. E o Fórum Econômico Mundial prevê um impacto econômico dessas tecnologias da ordem de US$ 4,4 trilhões até 2040.

“Os números são vultosos e podem fazer os menos avisados acreditarem que essa é uma realidade das grandes companhias, mas o fato é que, hoje, tecnologias e soluções de IA estão ao alcance das pequenas e médias empresas”, comenta o sócio-fundador e CSMO daLogithink, Fernando Brolo.

Desde os chatbots, passando por automações em RPA, até ferramentas de análise de dados, a IA otimiza processos, aumenta produtividade e melhora a experiência dos clientes com as marcas. “A democratização do acesso à tecnologia permite, por exemplo, que pequenos escritórios de contabilidade utilizem automações sob demanda e otimizem seus processos internos investindo pouco”, comenta.

O executivo explica que metade dos clientes da Logithink que usam soluções de inteligência artificial são pequenas e médias empresas. “A popularização da tecnologia faz com que essas empresas possam utilizar automações que eliminam riscos tributários, otimizam processos e aumentam a produtividade da equipe pagando mensalidades a partir de R$ 399. Isso era impensável há alguns anos“,diz.

Crescimento sustentável

A implementação eficaz de soluções de IA oferece benefícios que vão além da otimização de processos. “A capacidade de analisar grandes conjuntos de dados proporciona insights para a tomada de decisões estratégicas e profissionaliza a gestão das empresas. O uso adequado da IA também melhora a experiência do cliente e está se tornando um catalisador para o crescimento sustentável”, define Brolo.

Estratégia e inteligência

A redução de pessoal atuando em tarefas repetitivas abre o leque para utilização da mão de obra em funções que envolvam ações mais complexas, raciocínio e estratégia. “A máquina não vai substituir o homem, mas vai deixá-lo mais livre para se dedicar a funções desafiadoras, que exijam estratégia e inteligência. A combinação inteligente entre o potencial humano e o tecnológico é que fará a diferença nas empresas”, completa.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Um comentário em “Inteligência Artificial nas pequenas e médias empresas já é realidade no Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *