Planejamento estratégico é o melhor caminho para vender mais, antes e durante o Carnaval

Planejamento estratégico é o melhor caminho para vender mais, antes e durante o Carnaval

Especialista em e-commerce aponta dicas para sair na frente dos concorrentes

O carnaval é uma das épocas mais esperadas pelos brasileiros após as festas de fim de ano. Algumas pessoas aproveitam o feriado para viajar, outras se preparam para pular os bloquinhos ou passear com a família. Essa movimentação se torna importante para os comerciantes, principalmente aos que atuam no comércio eletrônico. Segundo um estudo realizado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), no ano passado, as vendas online registraram o valor de R$ 4,6 bilhões durante o período. Para o carnaval de 2024, existe uma expectativa deste valor aumentar 17%, atingindo o valor de R$ 5,5 bilhões, ainda de acordo com a pesquisa.

Para as marcas que desejam alcançar sucesso de vendas no carnaval deste ano, é importante começar a arquitetar estratégias e se planejar o quanto antes, principalmente no comércio eletrônico, que se tornou o principal meio de compra dos consumidores. Hawan Moraes, CEO e fundador da Simples Inovação, empresa com foco em modelagem de negócios para o e-commerce, acredita que esse é o melhor caminho para sair na frente dos concorrentes.

“É importante que as marcas aproveitem esse tempo hábil para estruturar suas lojas virtuais. Os primeiros passos para orquestrar o futuro são olhar dados do ano passado, ver o que se pode fazer diferente, ficar atento a tendências, novas tecnologias e as principais mudanças no comportamento dos consumidores”, comenta.

Pensando em ajudar empreendedores e varejistas com essa preparação, Hawan separou outras dicas simples para o período. Confira:

Fique atento ao fluxo de caixa 

Economicamente, este é o processo mais importante para os negócios, pois ele determina a saúde financeira das empresas. Em períodos como o carnaval, no qual tende a existir um fluxo de caixa maior, é preciso estar atento com as saídas e entradas de dinheiro para que não haja nenhum descontrole. Planejar questões como valores de promoções e descontos, fretes grátis, ticket médio, pagamento de fornecedores e investimentos devem vir primeiro, segundo Hawan.

“É muito difícil saber o que acontecerá daqui um mês, principalmente quando falamos de vendas online. Não conseguimos ter uma dimensão exata de quantas pessoas irão comprar, quais serão os produtos mais vendidos, inflação, entre outras métricas. Então, a ideia é traçar possíveis cenários financeiros, para que se tenha um controle maior da situação do seu negócio”, explica Hawan.

Organize seu estoque 

Gerenciar o estoque já não é uma tarefa fácil, ainda mais quando se tem um número alto de pedidos em um curto espaço de tempo. Para que não haja problemas como falta de produtos, desperdício de mercadoria, atrasos no envio, entre outras dificuldades, o ideal é já preparar a logística de armazenamento e distribuição com antecedência.

Mapear dados do estoque pode ajudar a definir quais são os produtos que saem mais e a frequência de reposição de cada item. Outra dica é ter bom relacionamento com fornecedores, pois eles serão responsáveis pelo abastecimento e a entrega das mercadorias, mesmo com urgência. Ainda sobre os produtos em estoque, é preciso atentar para a qualidade e validade, pois isso influencia na experiência do cliente.

“O investimento em soluções de gerenciamento de estoque é um ótimo caminho para empresas que estão começando agora ou que apresentam dificuldades nessa área. O avanço da tecnologia exige ferramentas para acompanhar essa evolução”, diz Moraes.

Gerencie sua logística de envio

A etapa de envio das mercadorias tambem é um ponto importante na decisão de compra do consumidor. As empresas precisam se preocupar com a logística de entrega, pois a expectativa do cliente em receber seu produto de forma fácil, rápida e correta estará em alta.

Algumas dicas para se ter uma logística de envio eficiente, são: planejar os processos de entrega, mapeando possíveis imprevistos no caminho e elaborando rotas alternativas; investir em tecnologias de rastreio de produtos, que tranquilizam e dão autonomia ao cliente, contribuindo para uma boa experiência; e apostar na logística reversa, que facilita a troca e devolução de mercadorias, evitando maiores problemas e aprimorando ainda mais a jornada de compra.

Aposte no full commerce 

Com tantas transformações no setor, acompanhar e gerenciar um negócio por completo pode ser desafiador. Por isso, muitas empresas estão apostando em soluções como o full commerce, que é a terceirização das operações de um comércio eletrônico.

Nesse modelo, uma empresa parceira gerencia todas as etapas das vendas online, deixando o empreendedor focar nas decisões mais estratégicas de sua marca. A vantagem é a possibilidade de contar com uma gestão mais experiente do mercado, além de economizar tempo, resolver problemas mais rapidamente, contar com tecnologias avançadas e, consequentemente, impulsionar as vendas.

“Para os empreendedores, que têm diversas coisas importantes para se preocupar no dia a dia, apostar no full commerce pode ser conveniente. Contratar empresas especializadas para conduzir os processos do seu e-commerce pode trazer mais segurança, fazendo com que se preocupe apenas com o necessário”, finaliza Hawan.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *