Reajuste do transporte público impõe desafios financeiros às empresas que concedem vale-transporte aos funcionários

Reajuste do transporte público impõe desafios financeiros às empresas que concedem vale-transporte aos funcionários
                                                                                                                                                   Crédito da foto/Daniel Castellano/SMCS

Mudança no valor das passagens demanda planejamento e práticas que minimizem o impacto financeiro

Com o recente anúncio do aumento nas tarifas de ônibus, trens e Metrô desde de janeiro de 2024, as empresas enfrentam um novo desafio para manter a saúde financeira e garantir o bem-estar de seus colaboradores. Esse reajuste, que afeta diretamente os custos operacionais e o benefício do vale-transporte, demanda uma estratégia para evitar impactos significativos no caixa das organizações.

O cenário nas grandes cidades, com destaque para São Paulo, reflete a necessidade de adaptação e previsão por parte das empresas. O aumento da tarifa de transporte público pode representar um fator determinante para a satisfação e retenção de talentos, considerando a importância do benefício do vale transporte para os colaboradores.

Leticia Deus, coordenadora de Recursos Humanos da RB Serviços, empresa líder em benefícios corporativos, destaca a relevância de antecipar-se a esses reajustes: “A gestão proativa dos benefícios é crucial para manter um ambiente de trabalho saudável e colaboradores satisfeitos. Antecipar-se aos reajustes é uma estratégia inteligente para garantir que a companhia não seja surpreendida financeiramente.”

A empresa ressalta que, diante do aumento na tarifa de transporte público em São Paulo, é fundamental que as organizações revisem suas políticas de benefícios e implementem práticas que minimizem o impacto financeiro. Para isso, a RB Serviços compartilha algumas orientações importantes:

Revisão e atualização das políticas de benefícios: avalie regularmente as políticas de benefícios, considerando as mudanças nas tarifas de transporte público. Atualizar os valores do vale-transporte de acordo com as novas tarifas é essencial para manter a equidade e a justiça interna.

Incentivo ao transporte alternativo: considere a implementação de programas de incentivo ao transporte alternativo, como caronas solidárias, bicicletas compartilhadas ou, até mesmo, o auxílio para aquisição de veículos próprios. Essas alternativas podem reduzir a dependência do transporte público e mitigar os impactos financeiros.

Negociações com fornecedores: busque negociações vantajosas com fornecedores de benefícios corporativos. Parcerias estratégicas podem proporcionar condições mais favoráveis, aliviando a pressão financeira causada pelos reajustes nas tarifas de transporte.

Comunicação transparente: mantenha uma comunicação transparente com os colaboradores, explicando as mudanças nas políticas de benefícios e demonstrando o comprometimento da empresa em garantir um ambiente de trabalho saudável.

A coordenadora de RH da RB Serviços enfatiza que a transparência na comunicação é crucial. “Os colaboradores valorizam quando a empresa está comprometida em encontrar soluções que minimizem os impactos dos reajustes em seus bolsos e isso, além de engajar, proporciona fidelidade e imersão na cultura organizacional “, conta.

Diante do cenário desafiador, as companhias que adotam uma abordagem estratégica e proativa na gestão de benefícios estarão melhor posicionadas para preservar a satisfação dos colaboradores e manter a saúde financeira. A RB Serviços permanece à disposição para orientar e apoiar as empresas nesse processo de adaptação e planejamento.

 

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 49 anos na área de jornalismo, sendo 47 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *