Banco da Mulher Paranaense alcança R$ 195 milhões em crédito para 17 mil empresárias

Banco da Mulher Paranaense alcança R$ 195 milhões em crédito para 17 mil empresárias

Banco da Mulher Paranaense, linha de crédito da Fomento Paraná, chega ao Dia Internacional da Mulher com um registro de mais de R$ 195 milhões em crédito liberado com condições especiais para mulheres empreendedoras em todo o Estado.

O programa foi lançado em setembro de 2019 pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, como compromisso do Plano de Governo. Deste então foram atendidos quase 17.500 empreendimentos, que contam com mulheres como proprietárias ou sócias.

De acordo com o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves, a maior parte das operações do Banco da Mulher Paranaense é de microcrédito – contratos de até R$ 10 mil para informais e até R$ 20 mil para MEIs e microempresas. É um segmento que atende justamente um público que tem mais dificuldade de acesso a crédito no sistema financeiro para estruturar um negócio.

“São recursos que circulam na economia e geram efeito renda e efeitos importantes no mercado de trabalho. As pesquisas mostram que o volume de mulheres que consegue obter crédito para iniciar ou ampliar um negócio é muito pequeno, independentemente de sua capacidade de gerenciar um empreendimento”, explica Neves.

“A mulher também enfrenta outras situações, como a perda do emprego em tempos de crise, ou a necessidade de cuidar dos filhos em casa. Então o Banco da Mulher Paranaense atua nesta lacuna, como uma política pública para possibilitar novas oportunidades de renda e melhoria da qualidade de vida das mulheres”, afirma.

Ele disse que em breve a Fomento terá mais uma novidade para mulheres. “Conforme orientação do governador, colocaremos também dentro do Banco da Mulher uma versão para as empreendedoras rurais, principalmente para as mulheres da agricultura familiar, com a possibilidade também de uma política de juro zero”, complementa.

Parceria

O atendimento às mulheres empreendedoras é feito por meio de agentes de crédito nos municípios que compõem a Rede de Parceiros da Fomento Paraná. Os agentes de crédito atuam nas salas do empreendedor, Agências do Trabalhador e outras estruturas municipais e estão presentes em 330 cidades.

A Secretaria da Mulher, Igualdade Racial e Pessoa Idosa e a Fomento Paraná anunciaram no mês passado uma parceria para fortalecer o Banco da Mulher Paranaense nos municípios, com o objetivo de facilitar o acesso ao crédito e impulsionar o empreendedorismo feminino.

“A parceria visa auxiliar as mulheres desde a compreensão das ofertas de crédito até a preparação da documentação necessária para sua contratação”, afirma a secretária da Mulher, Igualdade Racial e Pessoa Idosa, Leandre Dal Ponte.

Para a primeira-dama Luciana Massa, que é também uma das madrinhas do Banco da Mulher Paranaense, o programa representa uma grande oportunidade de crescimento para as mulheres. “Acredito firmemente que a mulher é protagonista de sua vida e de suas ações. A independência financeira é fundamental para que ela assuma o controle de sua própria história. Juntas, vamos fortalecer essa iniciativa e empoderar ainda mais as mulheres para que alcancem seus objetivos e realizem seus sonhos”, afirma.

Independência

A esteticista Marcia Bernini atuou por mais de dez anos em redes de salões de beleza. Durante a pandemia de Covid-19 as clientes queriam continuar sendo atendidas e Marcia, com todos os cuidados, passou a atender em casa, na Vila Guaíra, em Curitiba. Ela gostou da ideia e decidiu montar um espaço próprio, usando uma experiência anterior. Mas faltava o dinheiro para construir o espaço.

Assistindo a um programa de TV, a esteticista conheceu histórias de pessoas que empreenderam com apoio da Fomento Paraná e resolveu pesquisar. Com ajuda de uma neta, Marcia fez todo o processo online no site da instituição financeira (www.fomento.pr.gov.br).

“A liberação do crédito foi muito rápida. O agente foi muito atencioso e prestativo. Esclareceu todas as minhas dúvidas”, recorda Bernini, que reforça a importância do prazo de carência. “Tive tempo para concentrar os recursos na obra, possibilitando avançar a construção de forma mais rápida”.

Com o crédito, Marcia comprou todo o material de construção necessário para erguer seu espaço e depois passou a trabalhar na divulgação da empresa nas redes sociais e em sinalizar melhor a localização do estúdio. “Ter a Macbela Beleza e Estética significa liberdade profissional. Eu consigo fazer o meu horário, atender bem minha clientela sem pressão externa interferindo no meu trabalho”, destaca a empreendedora.

Aulas de dança

A paixão de Leticia Pedrozo (foto acima pela dança começou na escola, aos 11 anos. Depois do Ensino Médio, cursou Educação Física e passou a dar aulas na Happy Dança e Arte, que pertencia à professora Márcia Macedo, com quem ela aprendeu os primeiros passos na dança.

Márcia percebeu dificuldades para administrar o empreendimento sozinha e passou a procurar uma sócia. Leticia, aluna de longa data, aceitou a parceria.

Era preciso melhorar o suporte aos professores e o espaço onde aconteciam as aulas. As sócias encontraram um novo espaço para alugar, mas faltavam recursos para o projeto. A mãe de Leticia viu uma propaganda da Fomento Paraná e comentou com a filha.

“A Fomento Paraná foi responsável pelo nosso primeiro investimento na escola”, lembra Letícia. “Pesquisando melhor, optamos pela Fomento pelas condições de juros, que foram mais baixos pelo Banco da Mulher Paranaense, e por eu ter um certificado de capacitação Master of Business Innovation (MBI)”.

Com o crédito, o ambiente foi reformado, com uma nova fachada, para deixar a entrada da escola Happy Dança e Arte, também em Curitiba, mais atrativa.

Crédito da foto: Fomento Paraná

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *