Expansão internacional por meio de fusões e aquisições traz vantagens, mas precisa de avaliação criteriosa

Expansão internacional por meio de fusões e aquisições traz vantagens, mas precisa de avaliação criteriosa

À medida que as empresas buscam expandir suas operações globalmente, as fusões e aquisições (M&A) emergem como uma abordagem estratégica fundamental. A internacionalização não apenas abre portas para novos mercados, mas também oferece oportunidades para uma rápida consolidação e crescimento sustentável. Essa é a avaliação Marcelo Serro Azul, sócio da Unio Partners, boutique de assessoria financeira com prática de M&A.

Uma pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral em 2023, com 237 empresas brasileiras que atuam no exterior, mostra que o principal caminho para sua internacionalização foi a exportação (75,4%). E apenas 13,4% iniciaram sua internacionalização por meio de investimento direto no exterior (subsidiária comercial ou produtiva), podendo ser essas por meio de aquisições ou operação implantada do zero (greenfield). Outro dado importante é que 68,9% das pesquisadas planejam entrar em novos mercados internacionais.

“Neste contexto, a consideração cuidadosa de um M&A assume um papel central nas estratégias de expansão global das empresas. A internacionalização através de M&A proporciona à empresa acesso imediato a novos mercados e clientes, sem a necessidade de construir gradualmente uma presença local. Isso acelera o processo de entrada e estabelecimento nos mercados-alvo”, diz.

A incorporação de empresas locais, por exemplo, permite ainda a transferência de conhecimento valioso sobre as práticas de mercado, cultura empresarial e preferências do consumidor. Além disso, pode proporcionar oportunidades para a realização de sinergias operacionais, integração de cadeias de suprimentos e alcançar economias de escala. Essas eficiências podem resultar em uma maior rentabilidade e competitividade no mercado global.

“Aquisições estratégicas podem ajudar a mitigar riscos inerentes à entrada em novos mercados. Ao adquirir uma empresa local estabelecida, a companhia pode reduzir a incerteza associada à conformidade regulatória, entendimento do mercado e aceitação da marca”, acrescenta ainda o especialista.

Marcelo Serro Azul reforça, entretanto, que a realização de fusões e aquisições internacionais exige cuidados, que incluem uma avaliação criteriosa profissional, destacando 5 pontos de atenção:

1.Due Diligence abrangente: Antes de concretizar qualquer transação, é essencial realizar uma due diligence abrangente. Isso inclui avaliação minuciosa de questões legais, financeiras, operacionais e culturais para mitigar riscos futuros.

2.Compreensão das dinâmicas locais: Uma compreensão profunda das dinâmicas locais é crucial. Fatores como regulamentações governamentais e dinâmicas de mercado devem ser cuidadosamente analisados para garantir uma integração suave.

3.Planejamento tributário e legal: Questões tributárias e legais podem variar significativamente entre países. Planejamento tributário e consultoria legal especializada são indispensáveis para evitar surpresas desagradáveis no futuro.

4. Gestão de expectativas e cultura empresarial: A gestão eficaz das expectativas e a harmonização da cultura empresarial são fundamentais para o sucesso pós-aquisição. Uma comunicação clara e aberta é vital para construir confiança e alinhar as equipes.

5. Estratégia de integração pós-aquisição: Desenvolver uma estratégia clara de integração pós-aquisição é essencial. Isso inclui planos detalhados para unificação de processos, tecnologia, equipe e cultura, visando a maximização das sinergias.

“A estratégia de M&A se destaca como um meio eficaz para as empresas brasileiras que buscam internacionalização, bem como para as empresas estrangeiras que queiram entrar no Brasil, mas requer uma abordagem cuidadosa para garantir o sucesso duradouro, o que implica na necessidade de um assessor qualificado”, conclui.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *