Mercado de água em lata mais do que dobra a cada ano

Mercado de água em lata mais do que dobra a cada ano

O mercado de bebidas em latas está aumentando cada vez mais suas opções no Brasil. Em um contexto de mudanças climáticas, a importância da hidratação entrou em pauta no início do verão e promete se estender ao longo do ano. Além das opções convencionais como cervejas, refrigerantes e energéticos, outras categorias têm conquistado a preferência dos consumidores, como vinhos, cafés, drinks prontos e águas em lata.

Entre as modalidades disponíveis na embalagem de alumínio, o mercado nacional de água em lata registrou um crescimento notável. Segundo estimativas da área de inteligência de dados da Ball Corporation, o volume de latas de água no mercado brasileiro mais do que dobrou a cada ano desde 2020, quando a categoria foi introduzida no Brasil. Líder mundial em embalagens sustentáveis de alumínio, a Ball desempenhou um papel fundamental na introdução destas novas opções no mercado brasileiro, destacando a água em lata como uma tendência significativa.

Sustentabilidade

Esse crescimento se deve, principalmente, aos novos padrões de consumo voltados para a sustentabilidade. Segundo dados da Confederação Nacional da Indústria, o número de brasileiros que se preocupam com hábitos sustentáveis sempre ou na maioria das vezes aumentou de 74% para 81% em 2023. Com a hidratação se tornando uma preocupação relevante, o pós-consumo de embalagens de água, também se destaca. Para os consumidores mais conscientes, a lata de alumínio representa muito mais do que um envase prático e seguro, sendo 100% e infinitamente reciclável, e contribuindo com a renda de mais um milhão de famílias de catadores.

A tomada de consciência dos consumidores também se deve à preocupação com as alterações climáticas. Cerca de 93% das pessoas dizem acreditar que as mudanças climáticas representam um efeito sério e iminente para o planeta, de acordo com o Relatório “Confiança e Alterações Climáticas” do Edelman Trust Barometer 2023. O estudo também demonstrou que 67% das pessoas afirmam que existe uma lacuna significativa na forma como o padrão de vida atual exerce sobre o clima, em relação ao estilo ideal de consumo.

Reciclagem

Responsável pela produção da embalagem mais sustentável da cadeia, cuja taxa de reciclagem chegou a 100% no Brasil em 2022, a Ball incentiva as marcas de bebida a incluírem as latas de alumínio em seus portfólios. Assim, o setor contribui para alcançar marcos como o de 2022, quando o país evitou a emissão de 1,8 milhões de toneladas de gases de efeito estufa a partir da reciclagem das latas de alumínio, contribuindo para uma economia verdadeiramente circular. Com os avanços, as latinhas da Ball na América do Sul apresentam cerca de 85% de conteúdo reciclado por embalagem.

Neste sentido, a Ball Corporation, comprometida com o desenvolvimento sustentável, projeta um crescimento no mercado de latas para água. “Bebidas em lata agregam às marcas e consumidores mensagens de sustentabilidade dentro da agenda ESG, e a água em lata representa uma escolha sustentável que atende às expectativas dos consumidores mais conscientes sobre saúde e meio ambiente. Temos muito orgulho de ser pioneiros em tecnologias para o setor de latas de alumínio e referência no envase de diferentes categorias de bebidas, sendo responsáveis por trazer água, vinho, drinks e café com segurança e qualidade para a lata”, comenta Daniela Tomatti, vice-presidente Comercial da Ball para América do Sul.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *