Parceria entre Senai-PR e empresas incentiva ingresso de mulheres nas indústrias

Parceria entre Senai-PR e empresas incentiva ingresso de mulheres nas indústrias
Stephany Vicentino da Silva Moreira/Divulgação

Apenas 25% dos trabalhadores na indústria são mulheres

“Será que a indústria é apenas um território para homens? Em um ambiente onde a presença masculina é dominante, surge um questionamento sobre o papel das mulheres no setor: atualmente, elas representam apenas 25% da sua força de trabalho. E o acesso a cargos de gestão é ainda mais desafiador, com um crescimento de apenas 7,8% em 13 anos, atingindo 31,8% de participação, número ainda inferior aos demais segmentos da economia, onde as mulheres ocupam 46,7% das funções de liderança, segundo dados do Observatório Nacional da Indústria.

Diante desse cenário, é fundamental questionar e compreender as iniciativas em andamento para promover a equidade de gênero nesse ambiente. Uma pesquisa da CNI revela que seis em cada dez indústrias brasileiras têm programas de igualdade de gênero, sendo que 61% implementam essas iniciativas há mais de 5 anos.

“Além da questão moral e da garantia de direitos, a promoção da equidade de gênero é importante para impulsionar a competitividade empresarial, pois a diversidade de visões e experiências contribui significativamente para o sucesso dos negócios”, afirma Fábio Amaral, CEO da Engerey, fabricante de Painéis Elétricos com sede em Curitiba.

Lá, de 65 colaboradores, 10 são mulheres, realidade que vem mudando há algum tempo e está sendo impulsionada por meio de uma parceria entre a empresa e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) do Paraná. A Engerey, além de estimular o compartilhamento de conteúdos valiosos para os estudantes, oferta vagas de estágio e de empregos para mulheres, incentivando a igualdade de gênero no ambiente industrial.

“Acreditamos no potencial das mulheres para liderar e fazer a diferença em todos os setores, incluindo a indústria. Por isso, buscamos criar oportunidades para que elas se destaquem e contribuam de forma significativa para o nosso crescimento e desenvolvimento”, destaca Amaral.

Histórias como a de Stephany Vicentino da Silva Moreira, 20 anos, que trabalha da Engerey, são exemplos inspiradores dessa mudança. Quando encontrou a chance de fazer um curso técnico de eletromecânica no Senai ela não pensou muito e se matriculou. Entre os 70 alunos distribuídos em duas turmas (uma de eletromecânica e outra de mecânica), apenas duas eram do sexo feminino. Infelizmente, a colega não conseguiu prosseguir. Portanto, apenas uma mulher foi formada dessas turmas, que foi Stephany.

 

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *