Programa da Pepsico incentiva mulheres a serem caminhoneiras

Programa da Pepsico incentiva mulheres a serem caminhoneiras

A PepsiCo, uma das maiores empresas de alimentos e bebidas do mundo, também está entre as empresas de bens de consumo com as maiores frotas próprias: são mais de 4 mil veículos, entre caminhões pesados, de médio porte e carros executivos. A empresa possui uma operação logística de ampla capilaridade, entregando produtos em todo o Brasil e chegando aos lares de mais de 90% dos brasileiros. Por trás da eficiência de sua cadeia logística está uma equipe de Transportes, que reúne mulheres nas posições de motoristas de caminhão, manobristas, coordenadoras e gerentes – porque na PepsiCo, cada uma pode ocupar o lugar que quiser!

Foi pensando em ampliar suas iniciativas pela equidade de gênero entre seus talentos, que a companhia criou, em 2022, a iniciativa Frota para Elas, que impulsiona a presença de mulheres na área de logística, um setor majoritariamente masculino. O projeto busca atrair, capacitar e reter talentos femininos. O time de Transportes da PepsiCo conta hoje com 16 carreteiras e 5 carretas adesivadas orgulhosamente com imagens de algumas das mulheres do time de Transportes.

A ideia não é contratar apenas mulheres que já possuem experiência na área, mas também abrir portas para mulheres que, depois de contratadas, possam se aperfeiçoar com o apoio da PepsiCo“, afirmouAnderson Pinheiro, diretor de transportes da PepsiCo Brasil.

A empresa oferece, por exemplo, um curso de formação para mulheres carreteiras em parceria com a Fabet (Fundação Adolpho Bósio de Educação no Transporte), com aulas práticas e teóricas e totalmente custeado pela empresa, além de um comitê interno que busca entender sobre as condições dessas mulheres nas estradas e como dar suporte a todas. As vagas abertas da PepsiCo podem ser conhecidas por meio do site PepsiCo Jobs.

Mulheres no volante

A motorista de caminhão, ou “carreteira”, como prefere ser chamada, Iolanda Borges Pereira, de 63 anos, está na PepsiCo há 27 anos, onde começou como manobrista de empilhadeira e, há mais de vinte anos, está à frente dos caminhões que fazem o frete de mercadorias da PepsiCo das fábricas aos Centros de Distribuição. “Acredito que ser carreteira pode inspirar outras mulheres a saberem que podem ter a profissão que quiserem. Outro dia uma menina olhou encantada para mim enquanto eu dirigia a carreta e tenho certeza de que ela ficou impressionada”, afirma Iolanda. A profissional, gosta tanto da profissão que já é aposentada, mas continua trabalhando. Ela foi a primeira motorista mulher da PepsiCo no Brasil.

Rosangela de Fátima Alves, de 53 anos, é outro exemplo de que caminhão também é para as mulheres. Há 5 anos na PepsiCo, ela é carreteira há 29 anos. Desde menina tinha o sonho de dirigir caminhão, mas ouvia de sua mãe que a profissão ‘era coisa de homem’. Rosangela demorou para realizar seu sonho e começou aos poucos: aprendendo a manobrar caminhões. Quando começou efetivamente a dirigir ao comprar o primeiro caminhão com o ex-marido, teve a certeza de que era isso que queria: “Saio de casa para me divertir, é essa a sensação que tenho, não parece trabalho. Percebi que, em qualquer profissão, se você trabalha pensando somente no dia de receber o salário, não será feliz“, afirmou Rosangela.

Além da definição das rotas mais eficientes, a área de Transportes da PepsiCo também desenvolve diversos projetos de inovação e as mulheres são parte destes resultados. “Temos mulheres em diferentes cargos aqui no nosso time e estamos de portas abertas para atrair outras. Percebemos que a diversidade nos ajuda a alcançar melhores resultados e a PepsiCo cultiva esse espaço, com benefícios que são desenvolvidos pensando nas necessidades das mulheres que estão no mercado de trabalho e uma cultura interna que fomenta a equidade e a inclusão“, descreveu Anderson Pinheiro.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *