Paraná lidera com 33% das vagas de trabalho criadas no mercado financeiro no país

Paraná lidera com 33% das vagas de trabalho criadas no mercado financeiro no país

Mesmo assim há escassez de talentos

No primeiro trimestre de 2024, o estado do Paraná se destacou no cenário nacional, liderando com 33% das vagas de trabalho geradas no setor financeiro. Essa informação foi revelada em um estudo contínuo pela ManpowerGroup, uma empresa global de recrutamento e seleção de pessoal. O levantamento apontou que quase metade das empresas brasileiras planejam expandir sua força de trabalho nesse período. Filipi Vechim, executivo com duas décadas de experiência no setor financeiro, analisa o estudo que revelou um aumento significativo na intenção de contratação em comparação com o ano anterior.

“Estamos observando uma tendência positiva no mercado de trabalho brasileiro, com uma proporção considerável de empresas planejando aumentar suas contratações para o próximo trimestre. Isso reflete um otimismo crescente em relação à economia e às oportunidades de negócios”, destaca Vechim.

De acordo com os dados levantados, a intenção de abrir novos postos de trabalho cresceu de 42% em 2023 para 48% no mesmo período deste ano, enquanto a proporção de empregadores que preveem reduzir suas contratações aumentou marginalmente, de 15% para 16%.

O estado do Paraná lidera o número de vagas de trabalho no país com 33% das oportunidades, em segundo lugar temos São Paulo com 31%, seguidos de perto pelo Rio de Janeiro (30%) e Minas Gerais (28%). Os setores que devem impulsionar esse crescimento incluem Saúde e Ciências da Vida (46%), Tecnologia da Informação (45%) e Finanças e Imobiliário (42%).

Além disso, a pesquisa aponta que a expectativa líquida de emprego para o Brasil no período é de 32%, um aumento de cinco pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano anterior, refletindo um cenário de maior otimismo em relação ao mercado de trabalho.

“O Brasil está ganhando destaque no cenário global de contratações, o que é um sinal positivo para a recuperação econômica do país. Esperamos ver um impacto significativo no mercado de trabalho nos próximos trimestres”, acrescenta Vechim.

Filipi Vechim comenta sobre a posição do Brasil no contexto global, destacando que o país ocupa agora a 10ª posição no ranking de intenções de contratação, com um crescimento de quatro posições em comparação com o primeiro trimestre de 2023. Os líderes globais em intenção de contratação incluem Índia (37%), Países Baixos (37%), Costa Rica (35%) e Estados Unidos (35%), enquanto a Argentina apresenta o cenário mais fraco, com apenas 2%.

No que diz respeito aos setores com maior expectativa de contratação para o primeiro trimestre de 2024, destacam-se:

Saúde e Ciências da Vida (46%)

Tecnologia da Informação (45%)

Finanças e Imobiliário (42%)

Energia e Serviços de Utilidade Pública (36%)

Transporte, Logística e Automotivo (29%)

Indústria e Materiais (28%)

Bens de Consumo e Serviços (25%)

Entretanto, o estudo também revela um desafio significativo enfrentado pelas empresas brasileiras e globais: a escassez de talentos. No Brasil, 80% das empresas estão enfrentando dificuldades para contratar, enquanto a média global é de 75%. Para lidar com essa questão, os empregadores estão apostando em estratégias de flexibilidade de horários e local de trabalho como forma de atrair e reter talentos.

“É essencial que as empresas adotem abordagens inovadoras para superar os desafios de recrutamento e retenção de talentos. A flexibilidade é uma das chaves para atrair profissionais qualificados em um mercado competitivo”, ressalta Vechim.

As empresas estão priorizando o bem-estar dos colaboradores e a busca por profissionais com habilidades específicas enquanto planejam suas estratégias para 2024, refletindo um ambiente dinâmico e desafiador no mercado de trabalho.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *