Votorantim Cimentos investe R$ 145 milhões em unidade industrial no município de Itaperuçu

Votorantim Cimentos investe R$ 145 milhões em unidade industrial no município de Itaperuçu

Empresa vai investir R$ 800 milhões no Paraná até 2030

A Votorantim Cimentos inaugurou nesta terça-feira (09), no município de Itaperuçu, sua primeira unidade no Brasil de novos negócios, através das plantas industriais Viter e Verdera. Os investimentos da companhia na unidade de Itaperuçu, somados às melhorias de infraestrutura viária local, são de R$ 145 milhões. Esse valor faz parte do investimento de R$ 5 bilhões anunciado pela Votorantim Cimentos, até 2030, num programa abrangente de crescimento e competitividade estrutural das operações da empresa no Brasil, dos quais cerca de R$ 800 milhões serão investidos nas unidades da companhia no Paraná.

A nova operação da Votorantim amplia a produção de calcário agrícola da Viter no Paraná e permite a oferta de dois produtos exclusivos na região: o Calcário Itaú Fyller Dolomítico e o Optmix, que é uma mistura homogênea e industrializada de calcário micropulverizado e gesso agrícola.

Já a Verdera irá receber resíduos que não podem ser reciclados e prepará-los para destinação por meio da tecnologia do coprocessamento. A nova unidade tem capacidade de processar 48 mil toneladas de resíduos por ano, quase o triplo da atual capacidade instalada no Paraná, que é de 17 mil toneladas de resíduos por ano.

Avanço da competitividade

GOVERNADOR ITAPERUÇU
Inauguração da Unidade Itaperuçu. Foto/Geraldo Bobniack

Durante a solenidade que contou com a presença do governador Ratinho Junior, o CEO global da Votorantim Cimentos, Osvaldo Ayres, informou que o investimento na unidade Itaperuçu reforça o posicionamento de mercado, permitindo importante avanço de competitividade estrutural, em descarbonização e no crescimento de novos negócios de forma alinhada com o mandato estratégico. Segundo Ayres, a Viter produzirá insumos agrícolas para atender o mercado agro do Paraná e estados vizinhos. Por sua vez, a Verdera, oferecerá soluções de economia circular para a região, realizando a gestão de resíduos industriais e urbanos de forma correta e sustentável, gerando impacto positivo para a sociedade e para o meio ambiente.

Segundo Ratinho Junior, a ampliação da operação da Votorantim no Paraná é mais um reflexo do bom momento da atividade econômica estadual, que cresceu 7,8% em 2023, o melhor resultado do Brasil.

“Esse crescimento é fruto do trabalho do Governo do Estado para atrair novos investimentos de empresas para todas as regiões do Paraná e significa mais empregos e renda para os pais de família, as mulheres e os jovens”, disse. “No caso da nova planta da Votorantim, ela beneficia a população de Itaperuçu e de outros municípios da Região Metropolitana e com uma produção sustentável”.

O governador do Paraná também ressaltou que a unidade voltada à produção de insumos para a agricultura está em consonância com a estratégia de fortalecimento do agronegócio paranaense. “O Paraná tem se consolidado como o supermercado do mundo, sendo o maior produtor de alimentos do Brasil em quantidade e variedade. Quando boas empresas trazem insumos que ajudam a impulsionar essa indústria sem prejudicar o meio ambiente elas contribuem com essa meta”, disse.

Viter

A nova fábrica da Viter está equipada com modernos e potentes filtros para o controle da emissão de gases e partículas sólidas e usará combustível renovável (cavaco de madeira) como fonte energética no seu processo de produção. A fábrica tem capacidade fabril de 600 mil toneladas. Com a unidade em Itaperuçu e a já existente operação na cidade de Rio Branco do Sul (PR), a Viter terá capacidade instalada para produzir 1,5 mil toneladas por ano de calcário agrícola no estado do Paraná.  .

“A nova operação em Itaperuçu demostra nosso compromisso de estar cada vez mais próximo do produtor rural, oferecendo soluções conforme as necessidades locais. Ao oferecermos um calcário fino e com alto teor de magnésio e também a mistura homogênea de calcário e gesso, simplificamos a a operação do agricultor da região que deseja corrigir e nutrir o solo de forma mais rápida e eficiente para uma melhor performance em suas colheitas”, afirma o gerente geral da Viter, Marcelo Giuliano Sousa.

O Calcário ITAÚ Fyller Dolomítico e o Optmix já estão disponíveis para comercialização.

Verdera

Com área de 4,4 mil metros quadrados, a unidade de processamento é equipada com triturador de resíduos de última geração que permitirá a Verdera tratar para destinação sustentável novos tipos de materiais não recicláveis, como móveis, produtos paletizados e resíduos armazenados em tambores. Além do novo maquinário, o espaço também está equipado com um laboratório de análise e controle de resíduos exclusivo e um avançado sistema de prevenção contra incêndio, que detecta gases antes da formação da chama e realiza o combate automático com água pressurizada.

“O lançamento da unidade Verdera amplia nosso apoio as indústrias, as empresas e as cidades do Paraná na prática do conceito de economia circular ao dar um novo valor para os resíduos por meio de uma destinação ambientalmente correta e segura. Atualmente, diversos setores da economia já têm optado por esse tipo de destinação sustentável, como o agrícola, químico, alimentício, automobilístico, papel e celulose, assim como estabelecimentos comerciais e governos”, afirma Eduardo Porciuncula, gerente geral da Verdera.

Os resíduos processados na unidade da Verdera em Itaperuçu serão transformados em energia limpa para produção de cimento na fábrica da empresa no município de Rio Branco do Sul (PR). Desde 1991, a Votorantim Cimento atua com coprocessamento e foi pioneira em trazer essa tecnologia para o Brasil. Em 2019, lançou a Verdera que atua na cadeia de soluções ambientais dando um novo valor para os resíduos por meio do coprocessamento.

O coprocessamento é uma tecnologia utilizada mundialmente como destinação adequada e ambientalmente correta para eliminação de diferentes tipos de resíduos. Por meio dessa tecnologia limpa, os resíduos são completamente eliminados nos fornos da indústria cimenteira, sem restar qualquer passivo ambiental devido às altas temperaturas inerentes ao processo de fabricação do cimento.

Ao ser transformado em energia, os resíduos deixam de ir para os aterros sanitários, onde entrariam em processo de decomposição que levaria anos e geraria gases nocivos ao planeta. A solução ambiental do coprocessamento cumpre com todas as legislações vigentes no Brasil por meio de uma tecnologia limpa, que não gera passivos e ainda transforma materiais que antes eram considerados resíduos em matérias-primas, promovendo assim a economia circular.

A Verdera faz a separação, transporte, recebimento, trituração e preparação de resíduos brutos até o coprocessamento dos resíduos dentro dos fornos de cimento. Das 3 milhões de toneladas de resíduos coprocessadas anualmente em território nacional, de acordo com o Panorama do Coprocessamento 2023, divulgado pela Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), mais de 1 milhão de toneladas de resíduos foram processadas pela Verdera.

Investimento

De acordo com o CEO global da Votorantim Cimentos, Osvaldo Ayres, a empresa vai continuar investindo forte no Paraná. “É um dia importante para nós com esse investimento de R$ 145 milhões aqui no Estado para o desenvolvimento de novos negócios. Com a Viter e a Verdera, estamos orgulhosos em prover soluções sustentáveis e valor compartilhado aqui no Estado, criando por volta de 100 empregos diretos e indiretos e com mais investimentos por vir”, afirmou.

Ayres adiantou que a empresa já tem um novo plano de investimento de R$ 5 bilhões para o País, dos quais R$ 800 milhões serão aplicados diretamente no Estado. “Temos a maior fábrica de cimento da América Latina aqui no Paraná e vamos continuar investindo na competitividade das nossas fábricas, em logística, em serviços aos clientes e na evolução dos nossos novos negócios”, conclui.

 

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *