Bancos negociam mais de 1.6 milhão de contratos durante Mutirão Nacional

Bancos negociam mais de 1.6 milhão de contratos durante Mutirão Nacional

Volume de contratos repactuados desde o início da pandemia, em 2020, supera 31 milhões

Os bancos repactuaram 1.680.344 milhão de contratos no mais recente Mutirão Nacional de Negociação e Orientação Financeira, que ocorreu entre os dias 15 de março e 15 de abril de 2024. Com isso, sobe para mais de 31,2 milhões o volume de contratos repactuados pelos bancos desde a pandemia, em 2020.

Essa ação se soma a outras iniciativas apoiadas pelos bancos. No programa Desenrola Brasil, do governo federal os bancos negociaram 3,33 milhões de contratos no período entre 17 de julho e 31 de dezembro de 2023, beneficiando um universo de 2,7 milhões de consumidores.

No Mutirão realizado em março de 2023 foram repactuados 2,057 milhões contratos, trazendo alívio financeiro imediato para consumidores endividados.

O Mutirão Nacional é uma iniciativa conjunta da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Banco Central do Brasil, Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) e Procons e tem por objetivo contribuir para reduzir o endividamento no país.

As campanhas acontecem anualmente, em março (mês do consumidor) e novembro, desde 2019 e por meio delas podem ser negociadas dívidas em atraso no cartão de crédito, cheque especial e outras modalidades de crédito que não tenham bens dados em garantia, como veículos, motocicletas e imóveis.

Como os bancos ofertam condições especiais para a regularização de contratos em atraso durante os mutirões (parcelamento, descontos no valor da dívida ou taxas de juros reduzidas para refinanciamento), a mobilização costuma contribuir para o aumento da procura por negociações.

Segundo dados da Senacon, por meio da plataforma Proconsumidor, que reúne dados dos 615 Procons do país, durante o mutirão em março foram registradas 10.374 solicitações de consumidores por renegociação e parcelamento de dívidas, das quais 5.558 (53,5%) foram dirigidas a bancos, financeiras e administradoras de cartão.

Na plataforma ConsumidorGovBr, do Ministério da Justiça, 76,9% das demandas abertas pelos consumidores no período do Mutirão foram direcionadas a bancos, financeiras e administradoras de cartão. Cartão de crédito, crédito pessoal e empréstimos foram os assuntos mais demandados, respondendo por 67,8% dos registros, sendo que das solicitações finalizadas (3.241), 99% foram respondidas pelas instituições financeiras em até 6 dias. O índice médio de solução foi de 94,7%.

“Mais uma vez a ação teve efeito positivo e trouxe alívio financeiro para milhares de consumidores. A renegociação de dívidas compõe a relação sustentável dos bancos com seus clientes, e contribui para reduzir o custo da inadimplência. O setor entende que é preciso uma ação coordenada de toda a sociedade para fazer frente a esse cenário desafiador. Ações voltadas para reduzir endividamento, aliadas à educação financeira, melhoram a saúde financeira dos consumidores. Além disso, fomentam o consumo e contribuem para uma expansão das operações de crédito”, afirma Isaac Sidney, presidente da Febraban.

Como ocorreu nas edições anteriores, o foco dos mutirões é também a educação financeira. Uma página eletrônica exclusiva com orientações sobre como se preparar para a negociação e dicas sobre como gerir o orçamento doméstico, ter hábitos saudáveis e evitar a inadimplência foi disponibilizada durante a campanha por meio da plataforma Meu Bolso em Dia Febraban, que é aberta, e gratuita, e traz programas de recompensas para incentivar o engajamento do consumidor.

Nesta edição do mutirão, o site recebeu mais de 416 mil acessos.

 

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *