O Boticário anuncia startup vencedora do edital ‘Resíduo Extinto’

O Boticário anuncia startup vencedora do edital ‘Resíduo Extinto’

Comprometido em contribuir efetivamente para a mudança do cenário de gestão de resíduos sólidos em prol da conservação de ambientes naturais, em abril deste ano, o Boticário anunciou a abertura do edital “Resíduo Extinto”, um programa de inovação aberta, criado para selecionar um negócio de impacto socioambiental, com foco em economia circular e com aporte de R$ 100 mil para implementação do projeto-piloto. A iniciativa faz parte do projeto Extinto, lançado pela marca no início deste ano, que tem o objetivo de gerar alerta sobre a poluição de resíduos sólidos em diferentes biomas.

 

O edital, desenvolvido em parceria do Boticário com a Artemisia, organização pioneira no Brasil no apoio a negócios de impacto social e ambiental, chegou à Trashin, como a empresa selecionada. Há mais de cinco anos no mercado, a Trashin oferece uma solução de gestão de resíduos, que vai da educação e coleta ao impacto socioambiental positivo. A startup opera em projetos de logística reversa da produção ao retorno dos produtos, bem como na implementação de processos sustentáveis em eventos de todos os portes. Nos últimos quatro anos, com mais de 20 mil toneladas de resíduos processados, os resultados da empresa beneficiaram mais de 2 mil famílias de cooperativas parceiras, gerando cerca de R$3 milhões em renda aos parceiros e às transportadoras.
 

Para Luís Meyer, diretor de ESG do Grupo Boticário, o projeto não busca somente soluções inovadoras e financeiramente sustentáveis, mas também negócios com forte compromisso com o impacto social e ambiental, algo que dialoga com a essência do Grupo Boticário. “Ao desenvolver o edital ‘Resíduo Extinto’, nossa intenção foi não apenas identificar, mas também apoiar iniciativas que contribuam com uma gestão mais sustentável de resíduos sólidos e fomentem a circularidade. Estamos muito satisfeitos com o resultado do programa e confiantes de que a startup selecionada poderá contribuir para a economia circular”, declara Meyer.

 

O projeto piloto, fruto da parceria entre Boticário e Trashin, tem por objetivo atuar no 360º da gestão de resíduos – visando a prevenção da destinação incorreta de resíduos sólidos por meio da implantação de PEV(Pontos de Entrega Voluntária), engajamento da comunidade local e a mitigação do impacto por meio da implantação das ecobarreiras digitais pelo Brasil. “A parceria do Boticário com a Trashin para implantação das ecobarreiras digitais e pontos de entrega voluntária pelo Brasil resultará em um impacto ambiental e social positivo, protegendo rios e oceanos enquanto gera renda para as cooperativas parceiras. Para a Trashin, é muito gratificante contribuir com as ações do Grupo Boticário para garantir um futuro mais sustentável”, complementa Rafael Dutra, sócio-fundador da Trashin.

 

Ao todo, Resíduo Extinto recebeu mais de 140 inscrições de todo o Brasil. Considerando a sinergia com o DNA sustentável do Boticário, os critérios de avaliação foram: maturidade da solução, potencial de crescimento, assim como o potencial inovação, além da essencial sustentabilidade financeira – impacto do problema ambiental e comprometimento de impacto socioambiental. Também foram considerados o perfil empreendedor, com a dedicação e complementaridade dos sócios, experiência empreendedora, conhecimento técnico e a proposta de piloto clara e estratégica para o crescimento da empresa.

 

O processo de seleção envolveu uma triagem dos inscritos por meio de critérios eliminatórios, com análise dos negócios por meio de uma matriz de avaliação, em que foram atribuídas notas de 1-4 para cada subcritério dentro dos macros (negócio, impacto, liderança, aderência ao programa e piloto), além da realização do comitê interno com time Boticário para escolha dos pré-finalistas.

Após as etapas eliminatórias, o Boticário chegou às quatro semifinalistas: Trashin, Valora, iWrc e Mimoo. As empresas passaram por um refinamento do projeto-piloto e banca final.
 

“Os empreendedores de negócios de impacto socioambiental têm desenvolvido, no Brasil, soluções inovadoras para resolver problemas críticos da nossa sociedade. Com parceiros como o Boticário, a Artemisia espera contribuir – dentro do mecanismo da inovação aberta – para que essas empresas possam ter o suporte necessário para alavancar o crescimento e o impacto positivo, trazendo as transformações necessárias ao país, sobretudo, nas agendas ambientais e sociais. A escolha da Trashin para integrar o edital Resíduo Extinto, com foco em Economia Circular, atende a esse objetivo de apoiar com a nossa expertise e recursos uma solução inovadora”, comenta Felipe Alves, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Artemisia.

Próximos passos

Após o anúncio da finalista, Artemisia e Boticário irão desenhar um plano de trabalho que guiará o andamento de um projeto-piloto, que envolve a implementação de uma nova vertical de negócios para a Trashin, as ecobarreiras. O projeto, que acontecerá com suporte do Boticário, envolve a capacitação dos atores e integração da cadeia da economia circular para ativação da rastreabilidade dos resíduos, da coleta à destinação final via cooperativas parceiras.

 

Durante todo o processo, a empresa selecionada receberá suporte individual de um time de especialistas em inovação, desenvolvimento de negócios, impacto socioambiental e outros temas pertinentes, que contribuíram para o fortalecimento da estratégia de negócio.

Projeto Extinto

O Resíduo Extinto vem para potencializar a mensagem de Extinto, projeto de sustentabilidade lançado em janeiro deste ano, onde o Boticário faz um importante alerta para a sociedade: se não mudarmos os hábitos de consumo e gestão de resíduos sólidos, os cheiros originais de paraísos naturais, no Brasil e ao redor do mundo, vão desaparecer em breve. A marca utilizou toda sua expertise em perfumaria para desenvolver cinco fragrâncias inspiradas em áreas preservadas de ecossistemas localizados na América, Ásia, África, Europa e Oceania. Com Extinto, a gigante da perfumaria pretende conscientizar a população sobre a importância de uma mudança coletiva de comportamento em relação ao descarte correto de resíduos sólidos.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *