You are here
Home > Sem categoria > Mercado externo é uma das opções para setor eletroeletrônico enfrentar a crise

Mercado externo é uma das opções para setor eletroeletrônico enfrentar a crise

Humberto Barbato
Humberto Barbato, presidente da Abinee.

O setor eletroeletrônico brasileiro depois de registrar números amargos no primeiro semestre do ano, está em busca de alternativas para se manter no mercado. Uma das opções para combater a crise e a consequente queda do faturamento é o mercado externo. Eu conversei com o presidente da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), Humberto Barbato, que veio a Curitiba para apresentar a empresários paranaenses as estatísticas do segmento e falar do Plano Nacional das Exportações.

Segundo Barbato, nos primeiros seis meses do ano, a produção física do setor eletroeletrônico caiu 17% em relação a igual período de 2014. Já o faturamento diminuiu 9%. Agora o mais preocupante foi a demissão de 15 mil trabalhadores. Para o presidente da Abinee, as exportações podem ser a alternativa para que as indústrias enfrentem a difícil crise de confiança que atravessa o mercado brasileiro. Barbato me disse que o setor eletroeletrônico não tem como vocação principal as exportações, mas é um grande importador de componentes. Mesmo assim, entre janeiro e junho, as exportações cresceram 10%, o que o empresário considera um sinal positivo. Neste sentido, a Abinee está incentivando as indústrias nacionais a buscarem novos mercados no exterior. Hoje, por exemplo, o setor eletroeletrônico já tem presença garantida em países da América Latina e Estados Unidos e o Oriente Médio poderá ser uma opção para a venda de bens de infraestrutura, principalmente na área de energia.

Nos últimos dez anos, o setor eletroeletrônico perdeu quase a metade da sua participação nas exportações. Em 2006, as exportações do setor representavam 19,2% do faturamento, hoje, não chegam a 10%. Para o presidente da Abinee a nossa reindustrialização só ocorrerá se houver uma retomada das exportações dos manufaturados, que hoje representam menos de 40% do total das vendas ao exterior.

Com relação a preços, Barbato me disse que no primeiro semestre do ano, enquanto os produtos elétricos tiveram alta de 10%, os eletrônicos caíram 2%, em função da acirrada concorrência.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top