Superstições de fim ano fazem lojas de calcinhas zerarem seus estoques e faturarem acima do previsto

calcinhas amarelasQuanto maior a crise, mais as pessoas acabam se apegando as simpatias e superstições. E neste final de 2015, além comer lentilha, guardar sementes de 12 gomos de uva, colocar uma folha de louro na carteira ou espalhar arroz cru pela casa, muitas mulheres estão apostando na calcinha amarela na passagem do ano para obter sucesso na vida pessoal e profissional e garantir dinheiro em 2016.

Eu conversei com a sócia-administradora da Liz, franquia especializada na venda de peças íntimas, a empresária Alison Mazza Lubascher, e ela me disse que a procura por calcinhas, principalmente amarelas, tem sido tão grande, que os estoques quase zeraram. Aliás, já há dois anos consecutivos tem crescido a demanda pelas calcinhas amarelas.

E apesar da crise, a franquia tem prosperado em Curitiba. Em 2013, a empresária abriu uma loja no Park Shopping Barigui e este ano foi a vez de apostar numa loja no Pátio Batel. Segundo me disse Alison, mesmo em meio à crise econômica, as vendas da Liz cresceram 35% a cada mês, em relação a 2014. Na Black Friday, por exemplo, todo o estoque que a loja tinha para a data foi esgotado no mesmo dia.

A verdade é que os números são positivos para o setor de peças íntimas. Existem em todo o Brasil mais de 3.500 confecções que produzem cerca de 1,5 bilhão de unidades por ano. Só para se ter uma ideia, cada brasileira compra em média 7 peças íntimas por ano. E isso tem muito a ver com a participação feminina no mercado de trabalho. Mais independentes, as mulheres têm gastado cada vez mais com produtos para elas e estão mais exigentes com o que irão consumir. E não são somente as mulheres que adquirem lingeries no Brasil. Atualmente, 20% dos compradores são homens que escolhem modelos para suas esposas, namoradas e até mesmo parentes.

A economista Leide Albergoni chama a atenção para o fato de que apesar das simpatias e superstições, o endividamento das pessoas só está aumentando. Segundo ela, a receita mais certeira para a tranquilidade financeira é o planejamento – e nada como um ano novinho em folha para acertar o seu. Em primeiro lugar, é necessário conhecer sua estrutura de gastos e estabelecer os gastos mensais, semanais e as despesas que ocorrem uma vez no ano. A calculadora deve ser a companheira constante em 2016 e os aplicativos de celular podem ser utilizados para se organizar em tempo real.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *