Produtos com serviços agregados ajudam a conquistar clientes

Felipe Cassapo; Há necessidade de desenvolver inovação e pesquisa para aumentar o valor agregado dos serviços aos produtos.
Felipe Cassapo: Há necessidade de desenvolver inovação e pesquisa para aumentar o valor agregado dos serviços aos produtos.

Vender somente o produto ao cliente não basta para atraí-lo. Por isso, muitas empresas têm buscado se diferenciar de suas concorrentes e agregam serviços aos produtos para chegar ao consumidor final, o que atrai o cliente. Segundo o gerente executivo do Centro Internacional de Inovação do Senai no Paraná, Filipe Cassapo, essa ideia faz com que as empresas unam serviços de alto valor agregado aos produtos. “Aumentar o valor agregado permite à empresa crescer, se diferenciar no mercado. A indústria se torna mais competitiva”, diz.

De acordo com o consultor técnico de negócios do Senai no Paraná, André Luiz Turetta, o a indústria precisa vivenciar a realidade do cliente antes de ofertar o serviço. “Ela deve fazer uma verdadeira imersão para levantar necessidades, dores e expectativas”, diz. Para que isso ocorra, acrescenta o consultor, os empresários precisam mudar tanto naquilo que investe quanto na forma como o investimento é feito. Ele cita como exemplo a produção de compressores de ar. A indústria pode oferecer como serviços “uma garantia estendida, um setor de assistência técnica especializada, um pós venda proativo”.

Na Região Metropolitana de Curitiba, a Flying, indústria que trabalha com a produção de skates e shapes, passou a oferecer acessórios aos produtos fabricados dessa linha esportiva. De acordo com o proprietário da indústria, Antônio Portes, houve necessidade dessa diferenciação no mercado por causa do processo de recessão econômica do País. “Precisamos buscar alternativas de crescimento”, explica. A empresa, que participou de uma consultoria do Senai dentro de um novo projeto, segundo Portes, e passou a oferecer os acessórios.

Segundo Cassapo, quando uma empresa investe em serviços, ela é desafiada a exportar seu produto, já que a maior parte das exportações do Brasil é de commodities – produtos com baixo valor agregado. Há necessidade de “desenvolver inovação e pesquisa para aumentar o valor agregado dos serviços aos produtos”, explica.

Cassapo acrescenta que esse tipo de investimento gera ganhos para todos os setores: desde o empresário, passando pelos empregados até chegar ao consumidor final. “Compreender as necessidades do cliente melhora a vida do cidadão, ajuda a empresa a crescer, gerar empregos, vendas, desenvolvimento, pesquisas na área. O benefício é para todas as partes interessadas”, completa.

A necessidade das empresas em aumentar a competitividade no mercado fez com que a Cinq Mobile Ventures, que trabalha com a criação de softwares para automatização de trabalho de equipes em campo, tivesse bons resultados em 2015. Os softwares são usados por empresas que precisam manter contato com trabalhadores que fazem merchandising, pesquisas de preços e reposição de gôndolas em seus clientes. E 2015 foi um ano de muita procura por esses serviços, segundo o diretor executivo da empresa, Norton Luiz Ritzmann. “As empresas precisam se diferenciar, inovar e vêm em busca desses serviços”.

As empresas podem participar de consultorias feitas pelo Senai no Paraná para amadurecimento de suas atividades, incrementando e agregando serviços de alto valor aos produtos. O Instituto Senai de Tecnologia e Inovação e o Centro Internacional de Inovação são portas para essa consultoria. São atendidas empresas de todos os ramos, como metalmecânica, papel e celulose, bebidas, química e meio ambiente.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *