You are here
Home > Sem categoria > Logística dos Correios contribui para sucesso dos Jogos Olímpicos

Logística dos Correios contribui para sucesso dos Jogos Olímpicos

Guilherme Campos: No auge dos Jogos Olímpicos Rio 2016, mais de 2 mil empregados dos Correios estiveram envolvidos.
Guilherme Campos: No auge dos Jogos Olímpicos Rio 2016, mais de 2 mil empregados dos Correios estiveram envolvidos.

O sucesso dos Jogos Olímpicos Rio 2016 passou pela logística dos Correios, que armazenou, movimentou e entregou milhares de equipamentos esportivos, de tecnologia e de mobília pelos palcos onde 11 mil atletas de 206 países disputaram o ouro, a prata e o bronze em 42 modalidades.

A operação do Time Correios também foi responsável pelo transporte das 2.102 medalhas, das 36 mil bagagens das delegações e das amostras do exame antidoping das arenas até o laboratório oficial. A empresa ainda realizou a montagem do mobiliário da vila dos atletas e dos centros de imprensa e coordena a guarda e a entrega de documentos e objetos perdidos. Antes mesmo do início dos Jogos, os Correios tinham sido responsáveis pela entrega dos ingressos e pelo transporte da Tocha Olímpica pelo País. Todo o empenho foi reconhecido. A logística dos Jogos recebeu menção honrosa do Comitê Olímpico Internacional (COI) como uma das melhores da história.

“Fomos operador nota 10, medalha de ouro. Nossa logística para os Jogos foi padrão de escala mundial”, afirma o presidente dos Correios, Guilherme Campos. O planejamento estratégico da estatal para o maior evento esportivo do mundo começou há três anos. No auge da megaoperação, mais de 2 mil empregados estiveram envolvidos.

Nesta segunda-feira (22), quando milhares de atletas e turistas deixarão o Rio de Janeiro, o Time Correios estará a todo vapor novamente. É o início da fase de transição entre os Jogos Olímpicos e os Paralímpicos, que começam no dia 7 de setembro. Ainda que as arenas sejam as mesmas, há muitos itens específicos das modalidades paralímpicas. Para isso, os Correios realizarão intensa movimentação de carga entre o Parque Olímpico e os seus Centros Logísticos localizados na Barra da Tijuca e em Duque de Caxias, que totalizam 100 mil m² de área, o equivalente a 12 campos de futebol. Para a operação, os Correios contam com 170 caminhões e 2 mil equipamentos de movimentação, entre paleteiras, empilhadeiras, tratores e guindastes.

Segundo o vice-presidente de Logística dos Correios, José Furian Filho, ainda que tenhamos os Jogos Paralímpicos pela frente, já se pode falar no que a empresa ganhou com a Olimpíada: “temos tradição em realizar grandes operações, como o Enem, mas certamente a operação feita nos Jogos deixa um legado de conhecimento para a empresa e os empregados, nos credenciando a fazer qualquer operação logística no Brasil e no mundo”.

Seja por meio das confederações, ou dos atletas individualmente, o patrocínio dos Correios ao esporte é uma ação estratégica da empresa que já ultrapassa duas décadas. Os Correios vêm apoiando o esporte brasileiro na certeza de que esse é um instrumento de inclusão social, de divulgação de bons exemplos e oportunidade de vinculação dos valores do esporte aos da empresa. Nestes Jogos, a estatal, 100% do governo federal, investiu na delegação brasileira formada por 465 atletas e no Plano Brasil Medalhas. Mesmo que não tenha cumprido a meta de ficar entre as dez melhores nações — ficamos em 13º, essa edição dos Jogos é a melhor colocação do Brasil na história dos Jogos Olímpicos, com 19 medalhas (sete de ouro, seis de prata e seis de bronze).

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top