You are here
Home > Sem categoria > Trabalhar muito e no fim do mês não ver a cor do dinheiro é uma situação comum vivida por muitos microempresários. É possível reverter esse quadro. Saiba como

Trabalhar muito e no fim do mês não ver a cor do dinheiro é uma situação comum vivida por muitos microempresários. É possível reverter esse quadro. Saiba como

É muito comum ouvir de microempresários a queixa de que está trabalhando muito, tem pouco tempo para a família e para cuidar da saúde, e diversão nem pensar, mas no fim do mês, não vê a cor do dinheiro. Em primeiro lugar, o empresário que se encaixa nesta situação, não deve de forma alguma desanimar, já que esta é a realidade da grande maioria dos donos de micro e pequenas empresas brasileiras. A verdade é que ter um negócio próprio é um grande desafio.

Na avaliação do analista de Negócios e especialista em Gestão Estratégica, Rafael de Souza, para que um negócio tenha sucesso o empresário precisa ter dentro de si três personagens para atuar em momentos distintos, principalmente se trabalha sozinho. Os personagens a serem incorporados são o Técnico, o Administrador e o Empreendedor. De acordo com o analista, a maioria dos empresários de micro e pequenas empresas tem um perfil muito técnico, ou seja, é o que sabe produzir, coloca a mão na massa e tem como foco o fazer. Mas é preciso desenvolver os outros dois perfis. O técnico é um personagem importante para o sucesso do negócio, assim como o administrador, que é aquela pessoa que planeja, organiza e monitora as ações e os resultados, além de garantir que o negócio funcione de forma precisa como um relógio.

Apesar desses dois perfis serem fundamentais, se faltar o terceiro, que é o do empreendedor, o negócio terá poucas chances de crescer. Rafael de Souza explica que o empreendedor é a personalidade visionária, que enxerga oportunidades, é o sonhador, é o que tem disposição para assumir maiores riscos em troca de grandes ganhos.
Na direção de um pequeno negócio os três personagens devem ser bem desenvolvidos e funcionando de forma equilibrada. O x da questão é que o técnico e o administrador podem ser contratados. Agora, o empreendedor jamais. Então, é preciso desenvolver os potenciais de empreendedor e ser uma sentinela de si mesmo, para não correr o risco de focar toda a inteligência e energia apenas na operação do negócio.

E na hora de contratar um colaborador, o empresário deve ficar atento para criar uma equipe com conhecimentos, habilidades e atitudes essenciais ao seu negócio. Outro destaque importante neste ponto é ficar atento às características comportamentais de cada candidato a trabalhar na equipe, uma vez que a cada ano aumenta o número de empresas que contratam pelo conhecimento técnico e demitem pelo comportamento. Para não fazer parte desta estatística, o empresário deve procurar o apoio de profissionais especializados no processo de recrutamento e seleção.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top