You are here
Home > Negócios > Educação é setor com mais startups no Brasil e potencial de crescimento é grande

Educação é setor com mais startups no Brasil e potencial de crescimento é grande

A educação é o segmento com o maior número de startups no Brasil. De acordo com levantamento feito pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups), em parceria com o Centro de Inovação para a Educação Brasileira, foram mapeadas no país 364 EdTechs, nome que se dá às startups de educação, e esse número pode ser ainda maior. Elas estão presentes em 25 dos 26 estados e representam quase 8% do total dessas novas empresas.

No ranking mundial de EdTechs, o Brasil tem presença modesta – para se ter uma ideia, apenas a cidade de Pequim, na China, lidera o ranking com mais de 3.000 startups de educação –, no entanto, essa realidade muda a cada dia e o mercado dá sinais claros de que começa a amadurecer e ganhar corpo. Ainda segundo a ABStartups, as receitas crescem em média 20% ao ano. E, de acordo com o banco inglês Ibis Capital, o mercado global de EdTechs deve crescer 17% ao ano, atingindo faturamento de US$ 252 bilhões em 2020.

A Bett Educar, maior encontro de educação e tecnologia da América Latina, aposta na tendência e reserva na edição deste ano um espaço exclusivo às novidades e propostas inovadoras das principais EdTechs do país. O evento acontece de 14 a 17 de maio, no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Para Thiago Chaer, CEO da Future Education, aceleradora de startups com sede no Brasil e no Canadá, e que tem foco em empreendedorismo educacional, o mercado está crescendo desde 2010, seguiu aquecendo a partir de 2014 e já se mostra mais maduro em 2019. “As EdTechs trazem a perspectiva de um mindset focado em inovação. Elas representam oportunidades para repensar modelos de atuação na educação e criar um futuro”, salienta.

A Future Education é uma business partner da Bett Educar e, para Chaer, esse encontro com o mercado é extremamente estratégico pois reúne os principais players interessados em inovação educacional. “É um espaço para respirar essa cultura, conhecer perfis, promover novas reflexões e fechar negócios”.

Novas tendências – É possível prever as principais inovações que as startups de educação reservam? Para Chaer, há um direcionamento claro do que deve estar por vir quando o assunto é tecnologia ligada à educação. “As principais tendências para as EdTechs têm foco em aprimoramento e formação de professores; uso de gamificação para melhorar o processo de aprendizagem; entretenimento por meio de jogos; inteligência artificial nos processos internos de instituições e na aprendizagem, reduzindo a evasão; além disso, a cultura STEM (em inglês, Science, Technology, Engineering and Mathematics) tem ganhado muita força entre as startups do setor”, destaca.

Startups – Além da Future Education, cerca de 20 startups e EdTechs participam da Bett Educar. Uma delas é a TestWe, que oferece uma plataforma de mesmo nome com o objetivo de simplificar o processo de avaliação para educadores e alunos, proporcionando uma solução totalmente digital, sem papel ou logística, com correção automática e online e envio automático dos resultados aos candidatos.

Essas e outras empresas e experiências farão parte da Bett Educar, que deve reunir mais de 22 mil visitantes altamente qualificados do Brasil e outros 18 países. O evento tem a Microsoft como parceiro global e acontece entre os dias 14 e 17 de maio, no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top