You are here
Home > Economia > Vendas de máquinas industriais acumulam crescimento de 1,2% no ano

Vendas de máquinas industriais acumulam crescimento de 1,2% no ano

O faturamento da indústria de máquinas e equipamentos totalizou R$ 7.579,25 milhões em setembro, crescimento de 0,1% em relação a agosto, e de 2,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os números proporcionaram um crescimento na taxa acumulada no ano de 1,2% até setembro. Os dados foram divulgados hoje (29) pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

A gerente de economia e estatística da associação, Maria Cristina Zanella, disse que o resultado positivo ainda é pequeno. “Ano passado contamos com o bom desempenho do mercado externo e esse ano ao contrário, o mercado externo está fraco, várias economias em desaceleração, nossos parceiros em crise, isso fez com que os nossas exportações recuassem, mas ainda assim o mercado interno manteve um crescimento importante, que faz com que as nossas vendas no período mantivessem taxa de crescimento”.

Vendas

As vendas internas também apresentaram resultado positivo em setembro, com 6,8% de crescimento na comparação com o mês anterior. Já na comparação com o mesmo período de 2018, o aumento foi 8,2%.

Segundo a Abimaq, o crescimento interno foi puxado pelas vendas de máquinas para celulose, máquinas para agricultura e indústria de transformação.

Exportações

Setembro não foi positivo para as exportações. As exportações, que em 2018 tiveram importante papel no crescimento registrado pelo setor, segundo a Abimaq, neste ano esbarrou num ambiente mundial em desaceleração que levou ao seu encolhimento em 4,5% no acumulado do ano.

Em setembro, as exportações de máquinas e equipamentos apresentaram queda de 10,6% sobre o mês de agosto, mas crescimento de 0,1% sobre o mesmo mês de 2018.

Para a entidade, o crescimento acumulado de 1,2% no ano, abaixo das expectativas, é reflexo desta perda de fôlego das vendas no mercado internacional.

As vendas para a América Latina, que no passado chegaram a superar a marca de 50% do total exportado, neste ano tiveram sua participação deteriorada por conta da retração em diversos países. Só a Argentina teve queda de 38%, seguido de Paraguai (-27%) e Chile (-8%).

“Acredito que os negócios não serão afetados, poderá ter algum ruído, é o que está afetando não é tanto a política, mas a situação econômica da Argentina, vamos torcer para que o país complete seu ciclo recessivo como nós estamos completando e volte a crescer, voltando a crescer, nossas exportações irão aumentar”, comentou o consultor da presidência Mário Bernardini sobre o novo governo eleito na Argentina.

O desempenho positivo em setembro ocorreu apenas no setor de fabricante de máquinas para logística e construção civil, puxado pelo aumento de 5,4% nas vendas de máquinas rodoviárias.

As importações de máquinas recuaram 28,4% em setembro em relação ao mesmo período do ano anterior. A queda está relacionada a base de comparação. O mês de agosto estava inflacionado pela aquisição de sondas no valor de US$ 590 milhões.

Na opinião do assessor da presidência Mário Bernardini, a retomada do crescimento não virá das exportações. “Claro que se elas recuperarem ajuda, mas o crescimento deverá vir de recursos internos, é cada vez mais importante que o governo tenha sensibilidade de colocar, junto ao ajuste fiscal, algumas medidas que possam auxiliar a retomada do crescimento com investimentos em infraestrutura”.

Emprego

Quanto ao nível de emprego, setembro registrou uma queda de 0,3%, com 307.688 pessoas ocupadas no setor. Em relação ao mesmo período do ano anterior, houve crescimento de 3,7%.

Ludmilla Souza – Agência Brasil

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top