You are here
Home > Economia > Brasileiros acreditam em melhora da economia, mas otimismo diminui

Brasileiros acreditam em melhora da economia, mas otimismo diminui

Mais da metade da população economicamente ativa está otimista com os rumos da economia neste ano, após a aprovação da reforma da previdência e a queda da Selic ao mínimo patamar histórico. De acordo com pesquisa da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) encomendada ao Datafolha, 62% dos brasileiros esperam que o cenário melhore em 2020. O resultado representa queda de 12 pontos percentuais em relação a 2019, quando 74% dos entrevistados responderam de forma positiva.

O otimismo é maior entre os homens, já que 66% acreditam que a economia terá melhor desempenho este ano, contra 57% das mulheres. Os moradores do Norte e do Centro-Oeste também são mais esperançosos: em cada uma dessas regiões, 71% dos entrevistados responderam que 2020 será melhor do que 2019 (62% no Nordeste, 61% no Sudeste e 60% no Sul).

Entre os pessimistas, aumentou de 14% para 21% a parcela da população que espera piora na economia este ano. Os que acreditam que a atividade econômica deve permanecer igual passaram de 12% para 17%.

Propensão dos brasileiros a investir

A pesquisa também apresentou aos entrevistados três importantes temas que dominam a pauta econômica dos noticiários e que poderiam aumentar, diminuir ou manter as intenções de investimento em 2020. A redução dos juros é o principal fator de estímulo às aplicações financeiras, apontado por quase metade dos entrevistados (48%). O risco de desemprego estimula 37% das pessoas a investir, ao mesmo tempo em que diminui a propensão de outros 37%. Já a reforma da previdência motiva 36% da população a fazer aplicações financeiras, de olho na aposentadoria.

“O contexto econômico deve ser levado em conta ao se fazer qualquer tipo de investimento. Os juros baixos, por exemplo, trazem a necessidade de diversificar as aplicações. A reforma da previdência, por sua vez, acende um alerta sobre como se preparar para aposentadoria”, afirma Ana Leoni, superintendente de Educação e Informações Técnicas da Anbima. “O brasileiro deve estar cada vez mais consciente de que é o responsável pela sua vida financeira, e de que a forma como lida com o dinheiro hoje vai se refletir na tranquilidade ou no aperto financeiro que ele vai viver no futuro”, completa.

Para a pesquisa, foram realizadas 3.433 entrevistas em todo o Brasil, distribuídas em 149 municípios, com a população economicamente ativa, inativos que possuem renda e aposentados, das classes A, B e C, a partir dos 16 anos. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

Confira os resultados:

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe um comentário

Top