You are here
Home > Negócios > Carnaval é oportunidade para pequenos nichos de mercado impulsionarem as vendas

Carnaval é oportunidade para pequenos nichos de mercado impulsionarem as vendas

As atividades turísticas relacionadas ao carnaval deverão alcançar faturamento de R$ 8 bilhões em 2020, sendo o maior volume de receitas desde 2015, conforme estimativa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Embora os segmentos especializados em alimentação e hospedagem, como restaurantes, hotéis e pousadas, sejam os que mais responderão pela receita (cerca de 88%), diversos outros devem se beneficiar diretamente do feriadão, como agências de viagens, vestuário, centros automotivos e até mesmo pet shops.

De acordo com Reginaldo Stocco, CEO da vhsys, empresa especializada em gestão empresarial, os pequenos empreendedores de diferentes setores devem ficar atentos às oportunidades que surgem durante este período.

“O Carnaval movimenta toda a economia e sai perdendo quem não enxerga as possibilidades. Alguns exemplos são os centros automotivos, que podem oferecer pacotes de revisão para quem viaja de carro; os pet shops, que podem ofertar roupas temáticas para os animais de estimação ou reforçar a divulgação de espaços onde os donos podem deixar seus pets durante viagens longas; as lojas virtuais podem preparar produtos temáticos, promoções e investir em um layout comemorativo. São várias ideias que podem surgir a partir de uma data que impulsiona o consumo do brasileiro e atende a alguma necessidade do público-alvo”, diz. 

Para aproveitar a época, Stocco ainda aconselha aos lojistas oferecer produtos e serviços que agreguem valor ao negócio e tornem a experiência do cliente ainda mais divertida. “Vale desde enfeitar lojas até oferecer embalagens temáticas na entrega dos produtos”, diz. 

A economia das festas

Na análise de Stocco, os empreendedores podem usar o Carnaval para sentir o impacto da economia nesses períodos de maior movimento, o que pode servir como teste para outros feriados do ano.

“Os empresários precisam avaliar a situação em cada região, fazer um planejamento prévio e mudar a rotina. O horário de atendimento pode ser ampliado, assim como o mix de produtos, mas sem exagerar no estoque. Outro exemplo é olhar para diferentes tipos de público e treinar os funcionários para oferecer uma experiência alegre, garantindo a fidelização. O Carnaval ajuda a se conectar com o cliente por meio de temas atuais, e isso serve como um treinamento para outras épocas festivas, como Páscoa, festa junina e Natal”, diz.

Ainda segundo Stocco, os pequenos empresários precisam ficar atentos à gestão do negócio nesses períodos atípicos. “Esses momentos quebram a rotina da empresa e a gestão deve ser a mais precisa possível. Os gestores devem ficar de olho no estoque, avaliar quais serviços complementares ele deve oferecer, quais produtos podem ganhar desconto, o que deve ser reposto. São vários detalhes que precisam estar acertados para que uma boa oportunidade não se torne uma dor de cabeça”, aconselha.

Segmentos que mais vão faturar

Segundo a CNC, os segmentos especializados em alimentação, como bares e restaurantes, devem movimentar R$ 4,8 bilhões; as empresas de transporte de passageiros rodoviário, aéreo e de locação de veículos rodoviários, R$ 1,3 bilhão; e os serviços de hospedagem em hotéis e pousadas, R$ 861,3 milhões. Eles responderão por mais de 88% de toda a receita gerada com o Carnaval.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top