You are here
Home > Economia > Mais da metade das micro e pequenas empresas tiveram impacto acima de 40% no caixa após a pandemia

Mais da metade das micro e pequenas empresas tiveram impacto acima de 40% no caixa após a pandemia

Uma pesquisa realizada pela Boa Vista, com micro, pequenos e médios empresários, constatou que 57% das empresas destes portes já sofrem impactos de ao menos 41% no fluxo de caixa por conta da pandemia da Covid-19. Ainda de acordo com o levantamento, feito para identificar as consequências da pandemia para às MPMEs, 66% delas tiveram retrações a partir de 41% em suas vendas, ao passo que pouco menos da metade (49%) teve diminuição de 41% ou mais nos recebimentos dos clientes.

Para o estudo, a Boa Vista ouviu 354 micro, pequenos e médios empresários, representantes dos setores da Indústria e do Comércio, em todo o Brasil.

Recuperação dos negócios

A Boa Vista também quis ouvir os empresários sobre suas expectativas em relação à recuperação dos negócios. Apenas 26% dos entrevistados esperam uma melhora na manutenção do seu negócio, considerando vendas, recebimentos e pagamentos, ao final dos próximos três meses, enquanto 34% preveem estabilidade neste período e 40% acreditam numa piora.

Perguntados sobre quais necessidades, caso atendidas, ajudariam a recuperar o negócio, a maioria dos empresários apontou a conquista de novos clientes (57%) além de driblar a inadimplência (43%) e ampliar a atuação no mercado (39%).

Outros canais de venda

Destacam-se também acesso a outros canais de vendas (parcerias e-commerce), (13%), ter outros canais para pagamentos e links de pagamentos (13%), e garantir entregas através de empresas de logística (10%), necessidades que podem ser supridas por meio de parcerias em negócios. Nesta questão, os entrevistados puderam apontar mais de uma alternativa de necessidade, sendo que cada um apontou, em média, três.

Ainda em relação à importância dada pelas MPMEs às parcerias de negócios, 71% dos entrevistados as consideram importante para pagamentos e recebimentos online. Já para as vendas online, 55% acreditam que as parcerias importam, enquanto em relação a entregas de mercadoria, estes são 40%.

Boa Vista promove parcerias

Seguindo seu propósito de trabalhar pelo equilíbrio das relações de consumo, a Boa Vista tem se preocupado em contribuir com a economia do país nesse momento de crise.

Para isso, vem promovendo parcerias com grandes empresas como Mercado LivreMercado Pago e Magalu, a fim de ajudar principalmente as MPMEs a manterem seus negócios funcionando durante a pandemia, atuando na disponibilização de canais e soluções on-line em conjunto com os parceiros citados.

Manutenção do negócio

A Boa Vista saber que garantir o recebimento e ampliar as vendas são grandes desafios enfrentados pelos empresários neste momento de crise. Para apoiá-los na manutenção dos negócios, a empresa aconselha medidas como ações de prospecção de novos clientes; segmentação e qualificação de clientes para ação de marketing, assim como de recuperação de crédito e de cobrança.

As informações do Cadastro Positivo também já enriquecem soluções que podem ajudar o empresário na tomada de decisões mais assertivas, que ajudam a minimizar a inadimplência.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top