Mais da metade dos brasileiros mudaram seus hábitos de pagamento por causa da Covid-19

Mais da metade dos brasileiros mudaram seus hábitos de pagamento por causa da Covid-19

A pandemia da Covid-19 trouxe inúmeras mudanças para os consumidores, que tiveram que adaptar suas rotinas e mudar alguns de seus hábitos, incluindo a forma de pagar por suas compras. Segundo levantamento realizado pela Mastercard em parceria com a Kantar, 56% dos brasileiros entrevistados afirmaram ter mudado o comportamento de pagamento devido à pandemia.

Cerca de 75% dos entrevistados afirmaram ter aumentado o uso de pagamentos digitais devido ao distanciamento social desde o início da pandemia, enquanto 61% afirmaram ter testado um novo tipo de pagamento (por aproximação ou digital) nos últimos meses.

A pesquisa também revelou que para 50% dos entrevistados, a pandemia fez com que seu uso de novas tecnologias crescesse consideravelmente, enquanto apenas 23% acreditam que o uso está igual ao que era antes. Enquanto 53% dos brasileiros afirmam efetuar pagamentos por meio de aplicativos regularmente, 8% dos entrevistados começaram a fazer esse tipo de pagamento por causa do distanciamento social.

Aplicativos

Nos últimos três meses, as operações financeiras, como transferências e pagamentos de contas, foram realizadas preferencialmente online utilizando um aplicativo de serviços financeiros no celular ou tablet. Neste período, 72% dos entrevistados realizaram transferências dessa forma.

Além disso, 68% dos respondentes pagaram as suas contas utilizando um aplicativo, enquanto 18% utilizaram caixa eletrônico e apenas 11% pagaram na boca do caixa. Quase 75% dos respondentes checaram o balanço da conta usando um app de serviços financeiros, enquanto apenas 19% utilizaram um caixa eletrônico para isso.

Pagamentos em tempo real

A pesquisa relevou ainda o interesse do brasileiro por pagamentos em tempo real – modalidade que permite transações ininterruptas, disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana e 365 dias do ano com disponibilização dos fundos em tempo real.

Cerca de 75% dos entrevistados gostariam de poder fazer pagamentos em tempo real independentemente do provedor de serviços financeiros, enquanto 53% gostariam de realizar esse tipo de pagamento usando aplicativos de mensagens ou mídias sociais.

Para João Pedro Paro Neto, Presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul, “os brasileiros desejam incluir essa modalidade de pagamento em suas vidas e esperam que as instituições financeiras trabalhem para que essa seja uma realidade no futuro próximo. Até 2030, 55% dos entrevistados esperam que todas as transações financeiras sejam realizadas em tempo real, ou seja, instantaneamente. Para que isso seja possível, devemos seguir trabalhando no desenvolvimento de soluções interoperáveis, e de padrões focados na eficiência e na experiência do usuário”, ressalta o executivo.

Pagamentos móveis

O levantamento ainda mostrou o quanto o brasileiro está aberto para novas tecnologias. Cerca de 60% dos entrevistados concordam que novas tecnologias simplificam a vida. Eles também valorizam o controle oferecido pelos pagamentos por dispositivos móveis. Mais de 80% dos respondentes acreditam que a transferência e confirmação imediatas são um dos benefícios mais importantes desse método de pagamento, enquanto 48% destacam a facilidade do em qualquer lugar e 40% afirmam que as plataformas móveis oferecem uma importante alternativa nos momentos em que não estão com a carteira física.

Segundo o levantamento, a barreira mais relevante para a realização de pagamentos com dispositivo móvel é a taxa de aceitação, 47% afirmaram que “não existem lojas suficientes que aceitam pagamentos com dispositivos móveis”. Outros obstáculos significativos ao uso de pagamentos com dispositivos móveis são principalmente questões relacionadas ao dispositivo: 52% estavam preocupados com o que aconteceria se perdessem o telefone e 41% afirmaram que a duração da bateria poderia ser uma barreira potencial para o uso. Apenas 7% afirmaram achar essa forma de pagamento complicada de configurar.

Os resultados revelam que o Brasil é um terreno fértil para a evolução dos pagamentos digitais. “Conveniência e segurança foram destacados como principais razões que levariam os consumidores brasileiros a experimentar uma nova forma de pagamento. Na Mastercard, seguiremos trabalhando para desenvolver soluções inovadoras e garantir experiências de compra cada vez mais simples e seguras, que atendam às necessidades dos consumidores, empresas e governos na área de meios de pagamento”, finaliza João Pedro.

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *