You are here
Home > Finanças > Mercado de traders segue aquecido durante a pandemia

Mercado de traders segue aquecido durante a pandemia

A quarentena provocada pela pandemia do novo coronavírus impulsionou não só o trabalho remoto, como também algumas práticas do mercado financeiro, lideradas pelos traders, profissionais responsáveis por movimentar a compra e venda de ativos na Bolsa de Valores brasileira e no exterior, que ganharam milhares de adeptos nos últimos anos, principalmente no Brasil.

Segundo dados da corretora Easynvest, uma das líderes nesse segmento de mercado, o número de clientes operando em sistema de Day Trade no Brasil cresceu 27% em março, em relação ao mês anterior.

A alta ocorreu em um momento de muita volatilidade no mercado de ações no mundo todo, marcado pela incerteza e graves impactos econômicos provocados pela pandemia de coronavírus. Entre março e julho, mais de 900 mil investidores individuais registraram o CPF na B3, a antiga Bolsa de Valores de São Paulo.

Para Pedro Al Shara, engenheiro elétrico e CEO da TS Shara, fabricante nacional de equipamentos de proteção de energia, a migração para o trabalho remoto também trouxe uma preocupação a mais para este mercado promissor.

“Para o trader, uma interrupção provocada por queda de energia pode gerar uma paralisação que pode custar milhares de reais ou dólares em negócios e operações comprometidas. A presença de um nobreak na infraestrutura de home office desses profissionais pode fazer toda a diferença, em caso de falta ou queda de energia”, explica.

As fontes de alimentação ininterruptas (UPS), também conhecidas como nobreaks, protegem aparelhos eletrônicos, evitando picos de tensão e oscilações na rede elétrica.

“Para atender esse mercado, os equipamentos não podem correr risco de desligamento ou variação abrupta no fornecimento de energia. Nossa sugestão é a linha UPS Senno VT, que possui uma autonomia de cerca de 4 horas e meia, protegendo tanto o banco de dados quanto o computador e a conexão de internet, fundamentais para o trabalho do trader”, afirma.

Na visão do especialista em Energia, as novas tecnologias têm sido uma aliada de muitos setores para enfrentar esse período difícil pelo qual o país atravessa.

“Tudo deve ser planejado visando minimizar os riscos e perdas nesse momento onde qualquer prejuízo tem um impacto enorme sobre a operação, isso envolve desde a gestão da empresa até a infraestrutura necessária do ambiente TI, a fim de manter uma operação virtual rodando de forma segura e ininterrupta”, finaliza o executivo.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top