You are here
Home > Finanças > Preços dos medicamentos voltam a subir em março

Preços dos medicamentos voltam a subir em março

Os preços dos medicamentos vendidos aos hospitais no Brasil registraram alta de +1,72% em março, revela o Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H), indicador inédito criado pela Fipe em parceria com a Bionexo – health tech líder em soluções digitais para gestão em saúde. O indicador vem oscilando neste ano, com queda de -0,23% em fevereiro e alta de +1,32% em janeiro. No primeiro trimestre deste ano, o índice acumula alta de +2,83%. Á variação acumulada nos últimos 12 meses é de +12,97%.

A variação em março foi impulsionada pelo avanço observado nos preços médios em oito dos doze grupos de medicamentos, destacando-se: sistema nervoso (+10,50%), aparelho digestivo e metabolismo (+6,10%), aparelho respiratório (+3,13%), preparados hormonais sistêmicos (+2,46%), aparelho cardiovascular (+2,13%), entre outros.

Comparativamente, o resultado do IPM-H superou o comportamento esperado do IPCA/IBGE de março (+0,93%), mas não a inflação calculada pelo IGP-M/FGV (+2,94%) para o mesmo mês. Além disso, a variação do índice foi inferior ao comportamento da taxa média de câmbio (+4,20%).

No recorte temporal dos últimos doze meses, os grupos que mais contribuíram para a alta do IPM-H foram: aparelho digestivo e metabolismo (+72,40%), sistema nervoso (+67,91%), aparelho cardiovascular (+52,77%) e sistema musculesquelético (+26,84%). Em contraste, os grupos com as menores variações incluíram: anti-infecciosos gerais para uso sistêmico (-9,03%), medicamentos atuantes no aparelho geniturinário (+3,48%), agentes antineoplásicos/quimioterápicos (+3,56%), imunoterápicos, vacinas e antialérgicos (+3,57%), sangue e órgãos hematopoiéticos (+6,29%), órgãos sensitivos (+6,68%), aparelho respiratório (+8,80%) e preparados hormonais sistêmicos (+12,65%).

Cabe notar que as principais altas contemplam medicamentos usados em casos graves de COVID-19, incluindo: norepinefrina (terapia cardíaca e suporte vital), fentalina (analgésico), propofol (anestésico), midazolam (hipnótico/sedativo/tranquilizante), omeprazol e pantoprazol (antiácidos utilizados no tratamento de dispepsia/úlcera gástrica e outros distúrbios gastrointestinais).

O IPM-H é elaborado com base em transações entre fornecedores e hospitais no mercado brasileiro no período de janeiro de 2015 a janeiro de 2021. Nos últimos anos, a variação anual do indicador foi de + 4,74% (2015), + 4,97% (2016), + 3,94% (2017), + 4,97% (2018), + 3,97% (2019) e + 14,36% (2020).

As crises sanitária e econômica no país têm afetado os preços dos produtos pela combinação de vários fatores, entre eles o aumento da demanda dos sistemas de saúde, desabastecimento do mercado doméstico, efeitos cambiais e do preço de insumos.
Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top