You are here
Home > Finanças > Turista precisa avaliar impacto da alta do dólar na viagem ao exterior

Turista precisa avaliar impacto da alta do dólar na viagem ao exterior

dólar -maçoO brasileiro está viajando mais ao exterior e, como consequência, gastando mais. No entanto, com a elevação na cotação do dólar, é preciso planejar como vai ser feito o gasto lá fora.  Atualmente, além do dinheiro em espécie, há opções como travellers checks, cartões de crédito, débito e cartões pré-pagos internacionais. Antes de eleger a melhor forma, é importante conhecer as vantagens e desvantagens de cada um para evitar transtornos.

Planejar e organizar uma viagem internacional envolve uma série de providências por parte do viajante. Entre tantos detalhes para resolver, saber qual é a melhor forma de cobrir os gastos durante o passeio é um dos itens principais. São várias as opções: dinheiro em espécie, cheques, cartões de crédito, débito e pré-pagos internacionais. Antes de eleger a melhor forma, é importante conhecer as vantagens e desvantagens de cada um para evitar transtornos.

De acordo com o presidente do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças no Paraná (IBEF-PR), Clécio Chiamulera, o principal benefício do cartão de crédito e dos cartões pré-pagos é a segurança, já que nessas duas opções não há como perder ou ser vítima de roubo. No entanto, é importante ficar atento às desvantagens de cada uma delas. “Todas as despesas efetuadas no exterior com cartões de crédito vêm sempre com um imposto significativo. No caso dos cartões pré-pagos, as principais desvantagens são o risco de perda ou roubo, a necessidade da compra antecipada e o pagamento da taxa de câmbio maior do que a oficial”, explica.

Embora seja a opção mais óbvia e a mais utilizada, levar dinheiro em espécie não traz tantas vantagens como muitos imaginam. “O ideal é levar apenas o equivalente a uns US$ 300 para as despesas com alimentação e táxi, já que, se houver sobra na volta, a venda será por uma taxa menor de câmbio, gerando perda para o viajante”, diz Chiamulera.  Outra alternativa que deve ser analisada durante as compras no exterior é o cartão de débito internacional, cujo câmbio é fechado pelo valor do dia e pelo câmbio oficial, sem ágio e sem impostos. O presidente do IBEF-PR ressalta que é importante tomar o cuidado de liberar o cartão antes da viagem e também analisar o limite de saque diário, pois alguns bancos, por medida de segurança, deixam um limite baixo que pode ser aumentado mediante solicitação prévia antes da viagem.

pois de cumprida a penalidade e se não houver mais motivos, os prestadores de serviços turísticos e os guias de turismo poderão requerer a reabilitação perante o Ministério do Turismo. Caso o guia de turismo seja reincidente, fica obrigado à comprovação de ter realizado curso de reciclagem.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top