You are here
Home > comércio > Estudo aponta queda nas vendas de produtos de tecnologia, lazer e vestuário

Estudo aponta queda nas vendas de produtos de tecnologia, lazer e vestuário

47% dos brasileiros  reduziram as compras de dispositivos eletrônicos.
47% dos brasileiros reduziram as compras de dispositivos eletrônicos.

A redução da renda disponível e a queda na confiança do consumidor devem afetar nos próximos anos vendas de lazer e vestuário no Brasil, mas a maior reversão nas expectativas acontece no comércio de itens de tecnologia. Estudo da empresa de pesquisa Mintel aponta queda nas projeções para esse setor, que até aqui vinha crescendo diante do aumento de penetração de tablets e celulares.

O estudo projeta o cenário para as vendas de bens de consumo até 2019. A categoria Tecnologia e Comunicação, que até o último ano ainda figurava entre as de maior potencial de crescimento, agora aparece dentre as piores perspectivas. Depois de o setor crescer 111% entre 2009 a 2014, a previsão é de desacelerar para 22% de crescimento no acumulado dos próximos anos até 2019. No ano passado, a projeção era bem maior, de aumento de 84% até 2018.

O desaquecimento já afeta 2015. De acordo com outro levantamento da Mintel, 47% dos brasileiros dizem que reduziram as compras de dispositivos eletrônicos nos 12 meses anteriores a abril deste ano. “Na medida em que renda começou a ficar mais pressionada, os consumidores começaram a cortar mais esses gastos”, comenta Renata Moura, analista sênior em pesquisa de consumo. Fatores como a desvalorização da moeda brasileira, que torna as importações mais caras, e as taxas de juros mais altas também são apontados pela Mintel como responsáveis por essa desaceleração no segmento.

Gastos com lazer e com roupas também tendem a ser evitados pelas famílias brasileiras nos próximos anos, de acordo com o estudo. No último ano, 40% dos brasileiros já reduziram suas compras nestes setores e devem continuar nessa trajetória.

Desde 2009, lazer e entretenimento tiveram aumento de 41%, mas nos próximos cinco anos a alta será de apenas 16%, prevê a pesquisa. Já as vendas de roupas e assessórios vinham crescendo a uma média anual de 7% desde 2011, mas projeção caiu para 5%.

A pesquisa revela uma desaceleração geral do consumo no Brasil nos próximos cinco anos na comparação com os últimos cinco. A previsão é de que o total de gastos tenha um crescimento anual de 7% até 2019 ante uma média de 11% ao ano entre 2009 e 2014.

Em 2019, a expectativa é de que o total de gastos dos brasileiros ultrapasse R$ 4 trilhões ante R$ 3,2 trilhões em 2014. Até lá, porém, o crescimento dos gastos deve ser mais significativo em itens básicos como alimentação em casa, transporte e finanças pessoais.

Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe um comentário

Top