You are here
Home > Sem categoria > Vending Machines nunca saíram de moda e não precisam de evolução para faturar trilhões ao redor mundo

Vending Machines nunca saíram de moda e não precisam de evolução para faturar trilhões ao redor mundo

A ideia é antiga – dois séculos antes de Cristo em Alexandria, nascia o primeiro negócio automatizado – mas o encantamento e poder de venda, mesmo sem a tecnologia hoje existente são os mesmos. Colocar uma moeda ou passar o cartão em uma máquina quando os produtos são atrativos e convenientes e comprar de maneira automática, sem a ajuda de um vendedor, atrai consumidores ao redor do mundo todo e gera cifras na casa dos trilhões até hoje.

O curioso é que o avanço da Tecnologia não influenciou em nada a decisão do consumidor na hora da compra em vending machines. Como elas são normalmente realizadas por impulso, devido à atratividade dos produtos e à conveniência da localização, mesmo as máquinas mecânicas, onde as moedas são colocadas e é preciso virar a catraca para o produto sair, nunca saíram de moda. Prova disso é a rede de franquias Mr Kids de máquinas de brinquedos e doces, que faz o maior sucesso entre as crianças e os adolescentes.

A rede, que conta com mais de 130 franqueados e mais de 3500 máquinas espalhadas por todo o país, optou pelo modelo mais tradicional de vending machines, importadas do Canadá e são instaladas em hipermercados, shoppings, aeroportos, padarias e vários tipos de comercio onde haja circulação de seu público alvo: as crianças.

“Elas não resistem. Como nós estamos antenados no que é moda e faz sucesso entre o público infantil, como bolinhas, adesivos, chaveiros e outros, com personagens de novelas infantis, desenhos animados, super heróis e diversos produtos colecionáveis, as crianças se sentem à vontade para realizar a compra sozinhas, sem a ajuda dos adultos”, explica Antonio Chiarizzi Jr, fundador do Mr Kids.

No Brasil, o mercado de vending machines cresce a passos largos e uma pesquisa da empresa EPS, que organiza, em setembro, uma feira sobre o mercado, indica que o setor deve movimentar R$1bilhão neste ano. Enquanto as máquinas mais modernas ganham espaço e oferecem muito mais que os tradicionais salgadinhos e refrigerantes – pode-se comprar até cabos para celular em algumas delas – as clássicas maquininhas vermelhas de balas e brinquedos, continuam crescendo e estão longe de se tornarem obsoletas.

A Mr. Kids, que faturou R$ 4 milhões em 2015, tem 133 franqueados operando com as tradicionais máquinas mecânicas e mais de 3.500 máquinas espalhadas pelo Brasil. Hoje, já possui cerca de 800 pontos de venda já negociados para a instalação de novas máquinas e a microfranquia tem investimento bastante atrativo para quem procura um negócio de alta lucratividade: R$ R$18.500, com um faturamento líquido de 35 a 40% mensais.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top