Empresas estão optando por soluções tecnológicas para garantir a segurança do seu patrimônio, colaboradores e clientes

Empresas estão optando por soluções tecnológicas para garantir a segurança do seu patrimônio, colaboradores e clientes
Os totens da Helper têm 4 metros de altura.

Os avanços da tecnologia têm proporcionado muitos benefícios às empresas, principalmente para aquelas que buscam a melhora do seu desempenho e maior segurança, não só do seu patrimônio, como também de seus colaboradores e clientes. Em locais de grande circulação como por exemplo comércios, shoppings, supermercados, aeroportos e grandes indústrias é muito importante que o ambiente seja monitorado 24 horas por dia, e que seja possível ter controle sobre o fluxo de pessoas e um rápido acionamento caso algo suspeito seja detectado.

Diante do aumento da violência, cada vez mais empresas estão buscando métodos que as auxiliem a garantir um ambiente seguro. Agora, para uma solução eficiente não basta apenas a instalação de câmeras de monitoramento, é preciso a implementação de projetos inteligentes, que utilizem equipamentos de boa qualidade, que possibilitem a captura de detalhes instantaneamente e que permitam a rápida recuperação das imagens para que os responsáveis possam visualizar o que ocorreu rapidamente.

Eu conversei com o diretor comercial da empresa curitibana Helper Tecnologia, Edison Endo, e ele me disse que várias empresas estão substituindo os vigilantes por soluções de tecnologia. Os Postos Eletrônicos de Inteligência em Segurança Pública, criados pela Helper estão revolucionando este setor, atuando com um caráter inibidor e preventivo de crimes e pequenos furtos.  O primeiro equipamento da empresa paranaense foi instalado há três anos em São José dos Pinhais, depois foi a vez do Viaduto do Capanema receber o toten de 4 metros de altura da Helper. Hoje várias cidades e grandes empresas brasileiras adotaram este sistema de segurança, que captura imagens, em longa distância, num raio de 360 graus, em alta definição e baixa luminosidade realizando gravação contínua e transmissão de imagens, voz e dados para um centro de controle de inteligência em segurança pública.

Entre as quatro maiores Centrais de Abastecimento do País, onde são comercializados 65% do volume total de hortigranjeiros do Estado, a Ceasa de Curitiba (PR) conseguiu elevar em 90% seus serviços de segurança com a implantação, este ano, da tecnologia de inteligência e monitoramento remoto da Helper. Só para se ter uma ideia, o desafio diário da Ceasa de Curitiba é cuidar da segurança de 18 mil pessoas, monitorando uma área de 510 mil m², ou o equivalente a 21 alqueires e onde circulam diariamente 7 mil veículos. O sistema também contribuiu para aumentar a percepção de qualidade dos serviços prestados pela empresa, ampliando ainda mais o sistema de segurança e qualidade junto ao mercado.

Também uma das maiores empresas do setor de perfumaria e cosméticos do Brasil, com sede em São José dos Pinhais, decidiu substituir a segurança humana, que era feita por três vigilantes, pela tecnologia.

Segundo me disse Edison Endo, os vigilantes são o primeiro alvo dos criminosos. Quando se utiliza um posto Eletrônico de Inteligência em Segurança, que funciona 24 horas por dia, uma vida é poupada, e mesmo que os criminosos atirem contra o equipamento, o plano de ação da segurança não é inviabilizado. Outra vantagem é a diminuição do custo operacional. Um posto de vigilância custa para a empresa, em média R$ 24 mil por mês. Com a solução de tecnologia, o custo cai para cerca de R$ 10 mil mensais.

 

Mirian Gasparin

Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 50 anos na área de jornalismo, sendo 48 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 16 anos de blog, mais de 35 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 20 prêmios, com destaque para o VII Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º e 3º lugar na categoria webjornalismo em 2023); Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *