You are here
Home > Finanças > Má execução das finanças representa decadência do negócio

Má execução das finanças representa decadência do negócio

O setor financeiro de uma empresa é um dos mais importantes, pois é ele quem administra os recursos disponíveis, recebe, paga e distribui para os demais departamentos. Portanto, é um setor que requer muita atenção, pois assim como as empresas podem caminhar mais intensamente para o sucesso se tiverem uma boa administração financeira, a ausência ou má execução dessa atividade certamente representará a decadência de um negócio.

E quando se fala em administração financeira, os primeiros preceitos básicos que todas as pessoas e empresas conhecem são não gastar mais do que as próprias receitas; investir corretamente para crescer, e estar bem informado na hora de tomar decisões. Outro fator que torna fundamental a boa administração financeira diz respeito à estratégia empresarial. Toda empresa necessita de uma estratégia para crescer e se desenvolver. Desta forma, para que o negócio evolua é necessário fazer uma análise da posição no mercado e estipular metas e prazos para crescer. Com objetivos claros, é possível planejar e direcionar os recursos de maneira que eles sejam atingidos. Por isso, o planejamento estratégico deve trabalhar junto com a gestão financeira.

Agora, quando se trata de micro e pequenas empresas, é certo que a realidade que elas vivem não permite, na maioria dos casos, ter um administrador destinado apenas para a área financeira. Além disso, são poucos os estabelecimentos onde se encontram sócios ou funcionários especialistas em finanças. E é justamente pela falta de conhecimento e experiência, muitas micro e pequenas empresas acabam por não cuidar devidamente da gestão financeira, enfrentando problemas com o passar dos tempos e não alcançando o crescimento tão desejado. Uma solução é contratar uma consultoria especializada em micro e pequenos negócios que ajudará a organizar as finanças, traçar um bom planejamento e ainda auxiliar no alcance dos objetivos organizacionais.

Por fim, para que um trabalho seja bem executado é fundamental utilizar ferramentas eficientes. Na gestão financeira não é diferente. Neste caso, a ferramenta mais evidente é o fluxo de caixa. Com ele, é possível saber o valor disponível nos cofres da empresa ao longo do tempo, garantindo que haverá dinheiro necessário na hora de realizar, por exemplo, um investimento. Ferramentas tecnológicas também fazem parte de um setor financeiro eficiente. Softwares de gestão e controle evoluem e, portanto, devem ser atualizados constantemente. Definitivamente, isso merece atenção de todo empreendedor.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top