You are here
Home > Economia > Pequenas empresas podem economizar mais de 40% com planos de saúde

Pequenas empresas podem economizar mais de 40% com planos de saúde

Contratar um plano de saúde corporativo é essencial para prezar pela disposição e bem-estar dos funcionários. Porém, para uma empresa de pequeno porte, que normalmente possui um orçamento restrito, a decisão requer planejamento e uma análise cuidadosa. A variação de valores pode ser de mais de 40% entre as operadoras, segundo levantamento da Plansul (http://www.plansulseguros.com.br), consultoria que auxilia o pequeno empreendedor a encontrar os melhores preços e benefícios em diferentes contratos.

Na pesquisa foram analisados cinco tipos de planos, do mais básico ao executivo, com base na cidade de São Paulo, para empresas de dois a 99 colaboradores. A maior disparidade foi detectada na categoria básico 3, a qual oferece internação hospitalar em enfermaria, para companhias que possuem de 30 a 99 empregados. A diferença na comparação dos valores é de 40,3%, sendo que o serviço da operadora Bradesco custa R$ 311,15, e o da GNDI (Grupo Notre Dame Intermédica), R$ 185,82, com benefícios similares – ambos consultados em março de 2019, para a faixa etária de até 18 anos.

“Existe uma gama muito ampla de planos de saúde com redes de atendimento bem parecidas e uma variação grande de preços. É preciso fazer uma análise complexa do que é oferecido, elencando fatores diversos e personalizados, como abrangência, orçamento, necessidades e possibilidades específicas inerentes à atividade de cada empresa”, diz o Artur Maia, Diretor Comercial da Plansul.

Na categoria mais popular, a básico 1, o empresário que possui de dois a 29 funcionários pode poupar até 35,7% na hora de contratar o benefício. Já no plano executivo, o índice de economia é menor em porcentagem, mas faz a diferença quando colocado na ponta do lápis. Se o número de colaboradores for de, no mínimo, 30 pessoas, a diferença de valor é de 23,1%, com o serviço da CNU (Central Nacional Unimed) custando R$ 875,73 e o da Porto Seguro R$ 673,35 – dados referenciados com o mesmo público e período citados acima.

Consultoria assessora as PMEs na gestão do benefício

O atendimento da Plansul se mantém no pós-venda, uma vez que há o envolvimento, sem custo adicional, nas negociações posteriores à contratação. “Na maioria das vezes, as pequenas empresas não possuem estrutura para gerir o benefício que pode envolver inclusive pessoas adoentadas. Então fazemos toda a interface com a operadora, num rol de serviços que vai da movimentação cadastral até, eventualmente, negociações de reajustes” finaliza Artur Maia.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top