You are here
Home > Negócios > Site auxilia grifes a liquidarem coleções passadas e oferece itens de segunda mão com 80% de economia

Site auxilia grifes a liquidarem coleções passadas e oferece itens de segunda mão com 80% de economia

Uma das grandes dificuldades do mercado de luxo é liquidar peças paradas de coleções anteriores sem denegrir a imagem das empresas e evitar mais danos ambientais por meio do descarte. Foi essa percepção que levou a empreendedora Zoë Póvoa (FOTO) a incrementar o marketplace de peças de grife Ozllo (www.ozllo.com.br) a oferecer não apenas itens pouco utilizados, mas também produtos intocados de marcas nacionais, que acabaram estagnados em estoque.

A experiência adquirida ao longo de sua atuação no universo dos seminovos fez com que Zoë identificasse problemas na administração e armazenamento de produtos de marcas renomadas, levando-a a traçar novos horizontes. Em 2018, passou a oferecer uma finalidade às peças inertes de grandes nomes do setor. “Queremos atuar cada vez mais como parceiros desses negócios, para que eles se concentrem nas coleções atuais, que demandam extrema dedicação, enquanto cuidamos daqueles de temporadas anteriores e tiramos esse peso de seus ombros”, explica.

Com a sustentabilidade no DNA do negócio, a Ozllo estimula a compra de produtos que já haviam sido fabricados e seriam descartados. “Para se ter uma ideia, o processo para se confeccionar uma blusa de algodão equivale a 3 anos do que uma pessoa consome de água. Por isso, é necessário oferecer uma vazão consciente aos itens luxo”, explica a empreendedora. Além disso, os jovens estão cada vez mais atentos à questão ambiental. De acordo com a pesquisa The State of Fashion 2019, realizada pela Business of Fashion e pelo McKinsey & Company, nove em cada dez consumidores da Geração Z acreditam que as empresas têm responsabilidades sociais e com o meio ambiente.

A manutenção de uma experiência diferenciada também é uma das preocupações da Ozllo. “Mesmo que gaste menos, o usuário deseja um serviço de alto padrão ao comprar peças de determinada marca. Por isso, investimos em um atendimento humanizado, com um chat disponível 16 horas por dia; fazemos entregas express, para que o produto chegue o quanto antes – em média, até 24 horas para quem reside em São Paulo; e embalamos os itens como se fossem presentes”, conta a fundadora.

Da venda de roupas próprias ao marketplace

A Ozllo nasceu da necessidade de Zoë de criar sua fonte de renda em meio à turbulenta rotina da faculdade, que a segurava na instituição em período integral. Foi durante uma aula sobre startups, há quase três anos, que a então estudante de administração de empresas teve o estalo que deu início a tudo. O negócio surgiu como um marketplace no Instagram, em que a empreendedora revendia peças que estavam paradas em seu closet e no de suas amigas.

A aposta no mercado de seminovos deu certo e hoje oferece itens de mais de 44 grifes, com foco em vestuário feminino. Ao expandir para o gap de estoques, o marketplace visa uma aproximação com o mercado de luxo nacional e vem ao auxílio da gestão de imagem das marcas. A plataforma estreia o novo serviço ao lado de mais de 20 nomes de peso, entre os quais estão Iodice, Scarf Me, Candy Brown, LMG, Undertop, Midi e Área Oito. O objetivo é chegar aos 100 parceiros até o final do ano.

A Ozllo conta com clientes em todo o Brasil e já chegou aos Estados Unidos e ao México. O ticket médio do negócio gira em torno de R$ 2 mil para os seminovos e R$ 350 para as peças novas.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top