You are here
Home > Finanças > Bancos brasileiros buscam tecnologia para melhorar experiência do cliente

Bancos brasileiros buscam tecnologia para melhorar experiência do cliente

As expectativas dos clientes estão avançando mais rápido do que nunca. Felizmente, novas tecnologias e uma crescente preferência por interações digitais podem ajudar as instituições financeiras a atender a essas expectativas e operar com mais eficiência, ao diferenciar-se dos concorrentes e atender melhor os clientes simplificando interações, como visitas às agências.

Brasileiros encontram com frequência longas filas de esperas em seus bancos, e 47% já chegaram atrasados para o trabalho por causa delas, de acordo com uma nova pesquisa encomendada pela provedora de tecnologia de serviços financeiros globais Fiserv, Inc. (NASDAQ: FISV), empresa sediada em Wisconsin que entrou no Brasil em 2009, e realizada pela Toluna Insights.

A pesquisa foi realizada com 600 brasileiros e revelou também que mais de um em cada três entrevistados também já se atrasou para uma consulta médica ou para uma reunião social com amigos. Outros 15% já perderam a hora para uma entrevista de emprego.

Segundo Rodrigo Silva, vice-presidente da Fiserv para a América Latina, Caribe e Canadá, esses números devem servir de alerta para as instituições bancárias. As instituições financeiras que focarem em tecnologia e transformação digital têm a oportunidade de reduzir significativamente os tempos de espera, disse ele.

“Ao usar a tecnologia, vários processos são automatizados, liberando os funcionários para melhor atender seus clientes de maneira oportuna e eficiente. Existem muitas soluções já em vigor e mais chegando ao mercado todos os dias, por isso os bancos têm inúmeras maneiras de melhorar seus serviços e facilitar a vida das pessoas”.

A tecnologia digital da Fiserv ajuda a automatizar os processos dos bancos, ao mesmo tempo em que aumenta a conveniência e facilita seu uso para os clientes. A plataforma de experiência digital da empresa oferece um ponto de acesso seguro, intuitivo e fácil de configurar para clientes pessoais e empresariais, on-line e pessoalmente, por meio de uma interface sofisticada e elegante. Seguindo os padrões da indústria, a plataforma Fiserv coloca o banco digital nas mãos dos clientes, permitindo que eles gerenciem suas finanças quando e onde estiverem.

Tempo de espera

A pesquisa também aponta que mais de 45% dos brasileiros esperaram uma hora ou mais para serem atendidos em suas instituições financeiras locais antes de simplesmente irem embora sem ter sido atendido. Dada a mudança das expectativas, é importante que os métodos bancários sejam modernizados: apenas um entrevistado com menos de 18 anos estava disposto a esperar mais de uma hora.

“Há uma clara oportunidade para os bancos se diferenciarem e atraírem clientes novos e mais jovens, introduzindo processos mais eficientes em agências e oferecendo recursos digitais aprimorados para que os clientes possam concluir mais tarefas bancárias on-line ou por meio de dispositivos móveis”, diz Silva.

“Os jovens brasileiros estão constantemente conectados, então um foco digital mais forte permitirá que os clientes façam mais sem visitar a agência”, acrescenta. “Permitir mais interações através de canais digitais é obrigatório para atender às expectativas dos clientes neste momento”.

Em um mundo que se move mais rápido do que nunca, a Fiserv ajuda os clientes a fornecer soluções em sintonia com a maneira como as pessoas vivem e trabalham hoje – serviços financeiros na velocidade da vida.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top