You are here
Home > Trabalho/Emprego > Cursos de TI atraem estudantes e profissionais de várias áreas

Cursos de TI atraem estudantes e profissionais de várias áreas

Uma das pautas que mais preocupam a população brasileira é o desemprego – desde o início da crise, em 2014, os índices só aumentam. Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a taxa de desempregados no Brasil passou de 11,6% para 12,7%, atingindo 13,4 milhões de pessoas em 2019. No entanto, o setor tecnológico se distancia da realidade do mercado de trabalho atual. De acordo com a pesquisa da Assespro – PR (Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação do Paraná), o número de vagas de emprego para TI, cresceu 300% no Brasil, só em 2019.

De acordo com o coordenador-geral do Centro de Tecnologia da Informação da Universidade Positivo, Kristian Capeline, esse cenário positivo voltado para profissionais de tecnologia deve permanecer nos próximos anos. “O mercado está dando sinais claros que o crescimento continuará forte nos próximos anos, mesmo que a economia do Brasil não melhore”, afirma.

Tendo em vista esse cenário, não é raro estudantes e profissionais trocarem de área e passarem a estudar tecnologia, visando melhor empregabilidade e mais valorização. O estudante Moisés Rodrigues Ferreira trocou Relações Internacionais por Análise e Desenvolvimento de Sistemas, pensando racionalmente. “Gostava do curso, mas tive uma conversa com minha tia que trabalha com TI e percebi que deveria pensar em como garantir um bom futuro”, comenta o estudante.

No caso do estudante Mateus Menegacio, que cursava Contabilidade e já trabalhava na área, a oportunidade de crescimento surgiu dentro da própria empresa. “Mudei minha graduação para Análise de Desenvolvimento de Sistemas. Foi a melhor coisa que eu fiz”, comemora.

Tendência global

Segundo o Fórum Econômico Mundial, entre as 10 profissões emergentes para 2022, sete delas são de tecnologia. No entanto, Capeline afirma que ainda faltam profissionais na área. “Ensinamos para nossos alunos que setores de Inteligência que utilizam Business Intelligence e Big Data nas empresas estão se tornando tão essenciais quanto setores como Comercial, RH e o próprio Marketing. Todavia, faltam profissionais na área de TI para suprir a demanda das empresas, principalmente startups, os principais empregadores”, ressalta.

O Centro de Tecnologia de Informação (CTI) da Universidade Positivo possui mais de 1.500 alunos, aproximadamente 100 professores, mais de 20 cursos em seis unidades, nas cidades de Curitiba (PR), Pato Branco (PR) e Londrina (PR). De acordo com o professor Capeline, hoje, o CTI é o maior conglomerado de cursos de Computação do Estado do Paraná e 92% dos alunos de tecnologia estão empregados. “Realizamos anualmente um encontro com empresários chamado “Café com o Mercado”, no qual é mostrado o que ensinamos para os estudantes e os empregadores opinam para inserir ou retirar conteúdo das matrizes. Dessa forma, a Universidade Positivo busca suprir a demanda de profissionais de tecnologia com o que o mercado realmente precisa”, finaliza.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top