You are here
Home > Economia > Setor de serviços fica estável em maio pressionado pela queda nos transportes

Setor de serviços fica estável em maio pressionado pela queda nos transportes

O volume de serviços ficou estável em maio (0,0%), na comparação com o mês anterior, após crescer 0,5% em abril. Transportes foi a única das cincos atividades a registrar queda no mês, com recuo de 0,6%. Com isso, o setor de serviços está 1,1% abaixo do nível de dezembro de 2018, pressionado pelo transporte terrestre, que está 5,6% distante do patamar do final do ano passado.

Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta sexta-feira (12) pelo IBGE. Entre as atividades em alta, na comparação com abril, estão serviços de informação e comunicação (1,7%), que assinalam a segunda taxa positiva seguida, outros serviços (2,6%), serviços profissionais, administrativos e complementares (0,7%) e serviços prestados às famílias (0,5%)

Segundo o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo, se levarmos em conta os cinco primeiros meses do ano, os transportes, principalmente o rodoviário, foram um dos principais entraves para o crescimento do setor, que teve três resultados negativos no ano.

Transportes X Indústria

“Existe um movimento de aderência entre o setor de transportes e a indústria. Como grande parte da nossa produção é escoada pelas estradas, à medida que a produção industrial não cresce, não há necessidade de contratar o serviço de transporte de cargas”, explica.

Por outro lado, frente ao volume de serviços comercializado em dezembro, serviços de tecnologia da informação, relacionados à internet e mídias sociais, cresceram 5,5% e estão, hoje, no patamar mais alto da série histórica iniciada em janeiro de 2011.

Também crescem nessa última comparação os serviços profissionais e administrativos, com 3%, e alojamento e alimentação, 1,4%. Embora existam alguns setores com dinamismo, o setor não deslancha, segundo Rodrigo, porque existe uma dificuldade no volume de negócios entre as empresas. Nas épocas de crise, as empresas não renovam contratos de serviços considerados supérfluos como vigilância e segurança, transporte de valores e limpeza.

“O freio colocado nos gastos públicos também contribuiu para a redução dos serviços. Então, enquanto o investimento privado não ocupar o lugar deixado pelo público, parece que o setor tem dificuldade de retomar o crescimento”, concluiu o gerente da pesquisa do IBGE.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top