You are here
Home > Consumo > Proteste testa 13 modelos de geladeira frost free e constata grande variação de consumo

Proteste testa 13 modelos de geladeira frost free e constata grande variação de consumo

A Proteste, Associação de Consumidores, divulgou o teste de qualidade realizado com 13 geladeiras frost free, acima de 400 litros. Ainda que todas apresentem a etiqueta A, a constação é que existe grande variação de consumo entre elas. Ao optar por um modelo mais econômico e eficiente, o consumidor pode reduzir a sua conta de energia em até R$ 210 ao ano, por exemplo. E isso faz toda a diferença porque a geladeira é um eletrodoméstico essencial, que pode durar por muitos anos.

Outra boa notícia é que, no caso de queda da energia, as geladeiras avaliadas conseguem manter a temperatura interna por bastante tempo, deixando os alimentos refrigerados de maneira adequada. Para chegar a essas conclusões, a Proteste levou em conta duas análises.

A primeira foi da estabilidade da temperatura interna dos aparelhos, que foram carregados com diversos alimentos. Por meio de sensores de temperatura, acomodados nos compartimentos, nas prateleiras, na porta frontal e no congelador, a Associação realizou a medição. A segunda avaliou a retenção de temperatura. As geladeiras foram desligadas e Proteste verificou o tempo em que conseguiram manter uma temperatura interna no congelador abaixo de 0ºC, simulando uma falta de energia elétrica na residência.

Samsung se destaca

De maneira geral, todos os modelos mostraram bom desempenho nesse critério. A Samsung se destacou, mantendo constância nas temperaturas internas da geladeira, numa situação de queda abrupta na temperatura do ambiente, por exemplo. Já a Brastemp BRM58 foi a pior avaliada, mas ainda assim considerada aceitável. Em relação à retenção de temperatura no interior do aparelho, além da Samsung, os modelos da Panasonic atingiram os melhores resultados: aproximadamente, 12 horas.

A Proteste também constatou que os refrigeradores se adaptam bem à forma de uso do consumidor brasileiro. Eles contêm muitos recursos de ajustes, como deslizamento das gavetas, travas nas prateleiras e armazenamento de bebidas. Na avaliação de usabilidade, a Associação também utilizou uma amostra de alimentos que as famílias costumam armazenar com frequência. Todos os modelos foram considerados fáceis de usar, porque se adaptam bem a embalagens comuns de produtos, como garrafas e latas de refrigerantes, e tamanhos médio de congelados. No entanto, os modelos Brastemp BRE 59AB e BRM58AB, Electrolux DF54 e Panasonic NR-BB53PV3X se destacaram no critério.

Segundo a Proteste, o consumidor pode usar todos os aparelhos testados sem correr riscos de choques. Nenhum modelo apresentou problemas de segurança elétrica. E na avaliação de instruções, levando em conta o manual, as etiquetas e as demais marcações nos aparelhos, a Proteste verificou que eles continham informações completas de segurança, bem como orientação para o uso correto dos produtos. Os resultados foram muito bons, com exceção dos três modelos da Consul e da Brastemp BRE80, avaliados apenas como bons.

Na prática, a limpeza das geladeiras não é tão fácil assim. Todos as modelos mostraram alguma dificuldade, sobretudo por conta das frestas no interior do aparelho ou da retirada das prateleiras e gavetas. De forma geral, o lugar mais fácil de limpar é a gaveta de legumes e os pontos mais difíceis são as prateleiras da porta. Mesmo assim, somente o modelo Consul CRM45 foi considerado aceitável, por apresentar as dificuldades mais acentuadas.

Com base em todos os resultados, a Proteste constatou que o modelo Samsung, embora não tenha se saído bem na presença de diferenciais, alcançou ótimas notas na maioria dos critérios. Por isso, ganhou o título de melhor do teste.

Confira os resultados no site da Proteste: www.proteste.org.br

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top