You are here
Home > Consórcio > Venda de consórcios cresce no Sul. Em Curitiba aumento foi 61% este ano

Venda de consórcios cresce no Sul. Em Curitiba aumento foi 61% este ano

O sistema de consórcios é uma modalidade que tem chamado a atenção dos brasileiros por ser uma boa opção de investimento para aquisição de bens. Os catarinenses de Balneário Camboriú que o digam. Em 2019, as vendas cresceram 98%, como apontam os dados do Consórcio Araucária, associado à BR Consórcios. Além deles, outras cidades entraram em destaque, como: Curitiba com crescimento de 61% de vendas gerais, Cascavel com 56% e Maringá com percentual de 27%. São números muito relevantes para a região. Esses últimos, quando comparados o mês de julho de 2018 com o mesmo mês desse ano.

A venda de consórcios tem crescido em várias categorias. Em Balneário Camboriú, o produto de serviços e imóveis apresentam um aumento de 550% e 233% respectivamente, quando comparados de janeiro a julho de 2018 com o mesmo período de 2019. Em Cascavel, é evidente o crescimento em consórcio de imóveis, com aumento de 144%, seguido de serviços com 84%, isso quando comparado o mês de julho de 2019 com o mesmo mês do ano passado.

“Os números da modalidade de consórcios têm sido um importante termômetro de esperança para a economia brasileira nos últimos anos”, explica Alecsander Daré, gerente regional do Consórcio Araucária. “O consórcio também funciona como um agente educador em comportamento financeiro. O brasileiro, de forma geral, aprendeu a sobreviver nas crises e encontrou no sistema uma ferramenta para construir seu patrimônio de forma mais segura e promissora”, completa

Já em Curitiba, o aumento foi na venda de créditos de motocicletas, com 433%, seguida de 80% para o produto de imóveis e 20% para automóveis, comparativos dos meses de julho de 2019 e 2018. Em Maringá, os resultados também foram muito positivos, registrando aumento de 75% e 66% para a comercialização de créditos de serviços e imóveis, também quando comparados os respectivos meses.

Crédito sem a cobrança de juros – Segundo Daré, a flexibilidade e a possibilidade de crédito sem a cobrança dos juros têm atraído cada vez mais o consumidor. Além disso, no consórcio de imóveis o consorciado tem a possibilidade de usar o saldo do FGTS para dar lance ou aumentar o valor do crédito.

Outro benefício cada vez mais percebido é que a carta de crédito dá o poder de negociar a aquisição do bem à vista, o que traz mais poder na transação. Isso torna a modalidade uma boa oportunidade de investimento para a pessoa física. “Estamos mais próximos ao consumidor para que ele possa fazer o planejamento da sua família, aproveitando oportunidades como o FGTS, a flexibilidade desse investimento, o parcelamento integral do valor sem a necessidade de uma entrada, entre outros”, explica o executivo.

Como funciona o consórcio – Daré explica que hoje o consórcio, no geral, é composto de taxa de administração (custo operacional para a administradora administrar os grupos, formação de assembleias, entrega de bens, entre outras atividades), fundo de reserva (utilizado para suprir a inadimplência do grupo) e o seguro de vida (que cobre morte ou invalidez permanente do consorciado). Os grupos de consórcios reúnem pessoas físicas ou jurídicas, promovidas exclusivamente por uma administradora credenciada pelo Banco Central, com prazo de duração previamente estabelecido, com a finalidade de propiciar a seus integrantes a aquisição de bens móveis, imóveis e serviços, por meio de autofinanciamento.

O consorciado pode ser contemplado antes de quitar o valor da sua carta de crédito, que é o que ocorre na maioria dos casos, e continuar a pagar o plano com o crédito em mãos. Vale ressaltar que, nos sorteios, o consorciado só vai concorrer com aqueles participantes que pagam suas parcelas em dia, o que aumentam ainda mais suas chances. Ele pode concorrer por sorteio ou por lance, caso tenha alguma quantia guardada e queira antecipar a retirada do seu crédito. Se o lance do consorciado for um dos maiores do seu grupo ele leva o crédito. Se não for, ele pode ofertá-lo novamente nas próximas reuniões.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top