You are here
Home > Economia > Confiança da Indústria recua em outubro e sugere um inicio morno do quarto trimestre

Confiança da Indústria recua em outubro e sugere um inicio morno do quarto trimestre

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas recuou 1,0 ponto em outubro, na comparação com o mês anterior, para 94,6 pontos, o menor valor desde em outubro de 2018 (94,2 pontos). O resultado em médias móveis trimestrais permanece estável em relação a setembro, em 95,3 pontos.

“O resultado de outubro sugere, além de um início morno no quarto trimestre, aumento da cautela dos empresários em relação ao futuro. Além do fraco desempenho produtivo sugerido pela tímida evolução do Índice de Situação Atual nos últimos meses, causa preocupação a queda do Índice de Expectativas neste mês. Este indicador, que vinha oscilando desde maio em torno dos 95 pontos, atingiu o menor nível desde outubro de 2018, sinalizando que há ainda muito caminho a percorrer até a recuperação da confiança dos empresários”, comenta Renata de Mello Franco, economista da FGV/IBRE.

A confiança recuou em 10 dos 19 segmentos industriais pesquisados em outubro. O Índice de Expectativas diminuiu 1,3 ponto, para 93,9 pontos, o menor valor desde julho de 2017 (93,1 pontos). Já o Índice de Situação Atual (ISA) recuou 0,5 pontos, para 95,4 pontos. Em médias móveis trimestrais, o ISA interrompeu sequência de cinco quedas e apresentou alta de 0,3 pontos, para 95,6 pontos.

Após evoluir favoravelmente nos últimos dois meses, as expectativas com a evolução do pessoal ocupado nos próximos três meses voltaram a piorar. Apesar da parcela das empresas que preveem aumento do quadro de pessoal ter se mantido estável em 14,9% em relação a setembro, houve aumento da proporção das empresas que esperam redução, de 15,1% para 19,2%. Por esse motivo, o indicador de emprego previsto apresentou queda de 2,0 pontos, exercendo a maior influência sobre o IE.

Em relação ao ISA, houve piora na percepção dos empresários em relação aos negócios e ao nível de demanda corrente. O indicador de demanda total caiu 1,7 ponto para 95,1 pontos e o indicador de situação atual dos negócios reduziu 1,9 ponto, respectivamente para 93,4 pontos. Ambos, alcançaram o menor valor desde novembro de 2018 (94,4 pontos e 93,4 pontos, respectivamente).

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) subiu 0,3 ponto percentual (p.p.), voltando para o mesmo nível de agosto, 75,8%. Em médias móveis trimestrais, o NUCI avançou pela sétima vez consecutiva, em 0,1 p.p., para 75,7%.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top