You are here
Home > Artigos > Robôs investidores: realidade ou ficção?

Robôs investidores: realidade ou ficção?

Poderia muito bem ser uma cena de ficção há algumas décadas, mas é algo que já está acontecendo com frequência em diferentes setores da sociedade. Robôs e programas de computadores estão cada vez mais inteligentes e são capazes de executar tarefas complexas que impactam a vida das pessoas. Apesar de um pouco assustador, esse movimento também pode ser visto como algo bastante positivo! Afinal, auxiliar pessoas com uso de tecnologia e inteligência artificial pode trazer diversos benefícios para a vida delas.

Um bom exemplo disso é o que está acontecendo atualmente no mercado financeiro, uma área que até então tirava o sono de muita gente. O surgimento das fintechs e plataformas digitais trouxeram democratização ao setor e novas oportunidades aos brasileiros, que de acordo com a pesquisa Global Consumer Insights, realizada pela PWC, são os maiores interessados em contar com assistentes virtuais para ajudá-los em diferentes tarefas do dia a dia.

Renan Georges

As ferramentas de gestão de investimentos já possibilitam consolidar seus investimentos de forma automatizada, acompanhar a evolução de seu patrimônio e mensurar a performance de sua carteira de ativos. Entretanto, o mercado financeiro ainda pode ser bastante complexo e traz diversas particularidades. É preciso lembrar que a “melhor estratégia” sempre dependerá de seu perfil e objetivos pessoais.

Se robôs pudessem executar com excelência estratégias de investimentos, todas as pessoas financeiramente seriam bem-sucedidas e não precisariam se preocupar com suas contas. Portanto, contar com o apoio e suporte de um consultor financeiro, combinado ao uso destas tecnologias, para fazer a gestão de seus investimentos, pode ser a melhor opção!

A preocupação em relação ao uso de gestores digitais de investimentos ainda passa pela questão da segurança. Afinal, meus dados estão seguros? Quem teria acesso a essas informações e como seriam utilizadas? O compartilhamento de dados já faz parte da nossa realidade e é somente com a análise de comportamentos e padrões que poderemos ser tratados com singularidade. A parte boa é que a maioria das soluções atualmente já utilizam rigorosos protocolos de segurança e criptografia de dados.

Em resumo, o surgimento de robôs e novas tecnologias não deve ser visto como algo preocupante, mas sim como uma alternativa para as pessoas melhorarem seus rendimentos e diminuírem suas inseguranças em um setor complexo por natureza. Imaginar que máquinas possam substituir investidores pode até render boas cenas de ficção para o cinema. No mundo real, são apenas os assistentes necessários para trazer transparência e garantir que todos possam fazer ter condições de obter maiores lucros no futuro.

O artigo foi escrito por Renan Georges, que é economista e fundador do Fliper App.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top