You are here
Home > Negócios > Estudo de logística aponta desafios e oportunidades de inovação na área de supply chain

Estudo de logística aponta desafios e oportunidades de inovação na área de supply chain

O portal Liga Insights – plataforma que reúne conteúdos relevantes sobre inovação e startups em diversos setores –, com o apoio da VLI, Cervejaria Ambev, Cargill, Derraik e Menezes e IGC, acaba de lançar estudo inédito sobre o mercado de Logtechs, startups da área logística que estão desenvolvendo ferramentas inovadoras para solucionar questões importantes da cadeia de distribuição brasileira, como por exemplo, baixa qualidade da infraestrutura e da malha viária, falta de segurança e alta concentração do transporte rodoviário na matriz de carga brasileira.

Para identificar oportunidades e analisar as principais tendências de inovação, o Liga Insights entrevistou 47 empreendedores, profissionais, executivos e pesquisadores da área logística, de empresas e organizações como Mercedes-Benz, Fundação Dom Cabral, Porto de Suape, Terminal de Contêineres de Paranaguá, GPA, Magazine Luiza, Leroy Merlin, Porto Seguro, Unilever, Souza Cruz, Brink’s, Continental, Braspress, entre outras.

De acordo com o estudo, diante da transformação do mercado impulsionada, por exemplo, por startups atuantes na logística last-mile como Rappi, iFood e Loggi; e de uma maior exigência na qualidade das entregas por parte dos consumidores, a área de logística assumiu um posicionamento mais estratégico para as empresas. Dentro deste contexto, a tecnologia tem o papel de impulsionar a competitividade das organizações e amplia as oportunidades para as Logtechs.

Como explica Raphael Augusto, head do Liga Insights, essa janela de oportunidades pode fazer, inclusive, com que as startups contribuam para uma mudança cultural nas grandes empresas. “Além de aproveitar o início de abertura do mercado logístico no Brasil para a inovação, as startups podem se posicionar como verdadeiras agentes de transformação nas organizações, criando espaço para processos mais ágeis e geração de valor por meio da tecnologia”, explica Augusto.

Para Vanderlei Marques, Head de Desenvolvimento de Operações Multimodais da VLI, “o segmento carece de boas soluções tecnológicas apesar dos altos valores envolvidos nas operações logísticas do Brasil (aproximadamente 12% do PIB, o que equivale a R$ 1 trilhão por ano). Queremos promover e fomentar um crescimento exponencial da mesma forma que o segmento de Fintechs no Brasil teve nos últimos 5 anos”, afirma.  Em 2017, a VLI lançou o INOVA VLI; um programa de inovação aberta, com intuito de aproximar a VLI do ecossistema de uma forma ativa. Neste ano, a VLI encabeça a vertical de Logística e Mobilidade no Cubo, para fomentar ainda mais o relacionamento com startups do setor.

 De acordo com Vanderlei, a produtividade brasileira demandará uma logística muito mais eficiente nos próximos anos. “A tecnologia passa a ser fundamental para que estejamos bem posicionados dentro do ambiente de negócios global. Tendências como blockchain, IoT, inteligência artificial e data analytics dentre outros, poderão trazer muito mais competitividade para o país e impulsionar uma transformação do ambiente logístico brasileiro”, conclui.


Brasil conta com mais de 317 startups no segmento de AutoTechs

Além do estudo, a Liga Insights também criou um mapa com todas as startups brasileiras que estão inovando no setor de AutoTechs. De acordo com o levantamento, o Brasil possui hoje 317 AutoTechs espalhadas por todo o país – startups voltadas para o setor de logística, transporte e mobilidade.

As soluções foram divididas em 17 categorias, com destaque para Mobilidade – Caronas, Coletivos, Comunidade, Elétricos, Não-Motorizados e Rota – (32 startups) ; Last-mile delivery, Logística Reversa e Entras com (31 startups) e Ferramentas de Gestão e CRM (28 startups). O estudo também mapeou outras categorias como Monitoramento do veículo, Automação e Rastreamento (25 startups); Drones e VANTs (24 startups); BI, Data Analytics e Modelagem de dados (23 startups); Gestão e Cotação de Fretes e Trucking (23 startups); Gestão de Frotas (19 startups); Logística Verde (19 startups); E-hailing e E-sharing (16 startups); Finance & Insurance (16 startups); Experiência de Compra e Venda (12 startups); Roteirização (12 startups); Serviços de Manutenção (12 startups); Field Services e Gestão de equipe (11 startups); Marketplace Carros, Peças e Pesados (8 startups) e Parking (6 startups).

Evento aborda inovações de startups no setor de Logística

Pensando em discutir as tendências e os principais desafios para o setor de logística, transporte e mobilidade, o Liga Insights em parceria com a VLI promoverá um evento, em fevereiro, para apresentar o estudo de Logtechs – sobre como as tecnologias e inovações estão mudando o setor.

O objetivo do encontro é abordar os aspectos atuais e futuros, tendo como plano de fundo as startups, elencando os importantes movimentos na área. “Esperamos que o estudo e os debates ajudem os participantes na construção da nova configuração da logística no Brasil”, comenta Raphael Augusto.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top