You are here
Home > Negócios > Indústrias têxteis do Paraná confeccionam 5 milhões de máscaras para profissionais de saúde que atendem em presídios

Indústrias têxteis do Paraná confeccionam 5 milhões de máscaras para profissionais de saúde que atendem em presídios

A região de Apucarana, um dos mais importantes polos têxteis do país, tem passado por uma situação diferente durante a pandemia. Nos últimos meses, indústrias locais têm ajustado as linhas de produção e confeccionado máscaras de proteção, em vez de peças de vestuários e bonés.

Em maio, o segmento trabalhou para fabricar cinco milhões de máscaras que serão usadas por profissionais de saúde que atendem detentos em todo o país. A encomenda foi feita pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. 

Produzir para salvar empregos

Para que isso fosse possível, as empresas, em parceria com a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), se adaptaram para suprir a demanda por máscaras e outros equipamentos de proteção e, ao mesmo tempo, salvar empregos.

“Mais de 150 indústrias transformaram a sua produção fazendo esse novo produto, que é utilizado na linha de frente do combate a Covid-19. O resultado foi a saúde financeira da indústria. Sem isso, mais de 10 mil pessoas trabalhando em muitas dessas empresas estariam hoje desempregadas”, revela o gerente de Assuntos Estratégicos da Fiep João Arthur Mohr.

Além de evitar demissões e suprir a demanda por insumos de saúde, a iniciativa foi um alívio para os empresários de Apucarana e região. Isso porque as vendas deram um novo fôlego a muitos negócios que estavam sem receita e de portas fechadas.

“Nós estamos produzindo um material de proteção que estava em falta no mercado. O setor de confecção de Apucarana está vendendo máscara para prefeituras, hospitais, farmácias, para o Depen e várias outras entidades”, elenca a presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Apucarana e Vale do Ivaí (SIVALE), Elizabete Ardigo.

Como adequar a linha de produção não é uma tarefa fácil, a FIEP presta assistência e orienta as empresas sobre normas de fabricação exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Em outro esforço para reduzir os impactos da covid-19 no estado, a entidade que representa o setor industrial comprou todo o material necessário para a produção das máscaras, o que inclui 24 toneladas de tecido. Com essa quantidade, as indústrias paranaenses de confecção poderão entregar oito milhões de unidades. Por conta da crise financeira, a FIEP negocia o melhor preço com os fornecedores e, posteriormente, é paga pelos empresários.

Agência RadioMais

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top