You are here
Home > Finanças > É hora de se aposentar? Entenda a importância do planejamento previdenciário

É hora de se aposentar? Entenda a importância do planejamento previdenciário

Você sonha com a aposentadoria, mas não sabe como se organizar para ter equilíbrio financeiro quando chegar a hora de “parar de trabalhar”? Então, o melhor caminho é o planejamento previdenciário. Se planejar financeiramente no decorrer da vida deveria ser algo comum, e com a aposentadoria não é diferente. Estudos feitos pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, Serviço de Proteção ao Crédito e pelo Banco Central do Brasil mostram que seis em cada dez brasileiros ainda não se prepararam para aposentadoria.

A pesquisa ainda aponta que 59% dos brasileiros admitem não ter um planejamento para garantir um futuro financeiro na hora de deixar de trabalhar, enquanto apenas 41% têm se preocupado com a aposentadoria. Entre os que não fazem planejamento financeiro para a aposentadoria, 36% dizem não sobrar dinheiro no orçamento e 18% alegam que não têm planejamento porque estão desempregados. Para outros 17%, a justificativa é a de que não vale a pena guardar o pouco dinheiro que sobra no fim do mês.

De acordo com a advogada especialista em Direito Previdenciário, Previdenciário Internacional e do Servidor Público e, sócia do Domeneghetti Advogados Associados, Fátima Domeneghetti, os dados assustam, porém mostram a realidade cultural do país. “O brasileiro precisa adquirir um novo comportamento e uma nova cultura quanto ao seu futuro, principalmente quanto à terceira idade, sendo fundamental a adoção do planejamento previdenciário como condição de vida”, observa.

Fátima afirma que o modo de viver e de esperar a aposentadoria sem um bom planejamento previdenciário já não cabe à população. “Para descansar e ter um bom rendimento na terceira idade é imprescindível o jovem/adulto de hoje se planejar para ter independência financeira sem precisar trabalhar”.

A advogada lista as principais dúvidas sobre o planejamento previdenciário:

Como funciona planejamento previdenciário

O planejamento previdenciário, como o próprio nome diz, é um planejamento de aposentadoria, feito antes do segurado ou servidor público requerer o benefício de fato. A aposentadoria representa um grande período na vida da população. Para se aposentar com conforto, hoje as pessoas precisam contar com uma renda que garanta uma qualidade de vida e estabilidade duradoura.

Na prática, o planejamento funciona como um estudo de todo o histórico do trabalhador, considerando aspectos como: idade, tempo de serviço e valor das contribuições ao sistema previdenciário, tipo de atividade exercida, características dos diferentes regimes de previdência e a legislação envolvida. Esse diagnóstico quem faz é um especialista da área e nele são levantados os períodos de contribuição tanto para o INSS quanto para o Regime Próprio dos Servidores Públicos.

Após o levantamento de todas essas informações são feitos os cálculos e laudos com as estratégias para garantir uma boa aposentadoria de acordo com os objetivos de cada pessoa.

Para quem se destina o planejamento

O planejamento de aposentadoria pode ser considerado o caminho mais eficaz para garantir o melhor benefício, com o menor estresse possível. Ele é um importante aliado para as pessoas que querem começar a planejar o seu futuro, desde daquelas que estão mais longe da aposentadoria, os jovens, mas querem fazer escolhas estratégicas para garantir uma melhor renda no futuro, até para aquelas que estão mais próximas da aposentadoria e precisam definir qual regra de aposentadoria e manejos de tempo de contribuição aumentariam o benefício.

O que há de errado se aposentar sem planejamento

Infelizmente uma situação que é muito comum na prática é a de trabalhadores que vão diretamente ao INSS ou Regime Próprio e solicitam suas aposentadorias sem ao menos calcular quanto será o valor do benefício e quais as suas opções para se aposentar de forma mais vantajosa. Não é um erro, porém, com o planejamento, é possível ter uma visão mais clara, do valor do benefício previdenciário.

Como a aposentadoria é um ato irreversível e irrenunciável, após o recebimento da primeira parcela do benefício não é possível cancelar ou alterar o valor do benefício (exceto através de revisão previdenciária) e é aí que bate o arrependimento, ao ver que poderia se aposentar com um valor mais generoso.

Por onde começar?

O ideal é, antes de ir diretamente requerer o benefício, buscar um profissional especialista em Direito Previdenciário e, fazer o planejamento de aposentadoria. Somente assim, o indivíduo terá a certeza que estará escolhendo a melhor e mais vantajosa opção para se aposentar, adaptado aos seus objetivos.

Avatar
Mirian Gasparin
Mirian Gasparin, natural de Curitiba, é formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em Finanças Corporativas pela Universidade Federal do Paraná. Profissional com experiência de 44 anos na área de jornalismo, sendo 42 somente na área econômica, com trabalhos pela Rádio Cultura de Curitiba, Jornal Indústria & Comércio e Jornal Gazeta do Povo. Também foi assessora de imprensa das Secretarias de Estado da Fazenda, da Indústria, Comércio e Desenvolvimento Econômico e da Comunicação Social. Desde abril de 2006 é colunista de Negócios da Rádio BandNews Curitiba e escreveu para a revista Soluções do Sebrae/PR. Também é professora titular nos cursos de Jornalismo e Ciências Contábeis da Universidade Tuiuti do Paraná. Ministra cursos para empresários e executivos de empresas paranaenses, de São Paulo e Rio de Janeiro sobre Comunicação e Língua Portuguesa e faz palestras sobre Investimentos. Em julho de 2007 veio um novo desafio profissional, com o blog de Economia no Portal Jornale. Em abril de 2013 passou a ter um blog de Economia no portal Jornal e Notícias. E a partir de maio de 2014, quando completou 40 anos de jornalismo, lançou seu blog independente. Nestes 11 anos de blog, mais de 20 mil matérias foram postadas. Ao longo de sua carreira recebeu 18 prêmios, com destaque para Prêmio Fecomércio de Jornalismo (1º lugar Internet em 2017 e 2016);Prêmio Sistema Fiep de Jornalismo (1º lugar Internet – 2014 e 3º lugar Internet – 2015); Melhor Jornalista de Economia do Paraná concedido pelo Conselho Regional de Economia do Paraná (agosto de 2010); Prêmio Associação Comercial do Paraná de Jornalismo de Economia (outubro de 2010), Destaque do Jornalismo Econômico do Paraná -Shopping Novo Batel (março de 2011). Em dezembro de 2009 ganhou o prêmio Destaque em Radiodifusão nos Melhores do Ano do jornal Diário Popular. Demais prêmios: Prêmio Ceag de Jornalismo, Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Paraná, atual Sebrae (1987), Prêmio Cidade de Curitiba na categoria Jornalismo Econômico da Câmara Municipal de Curitiba (1990), Prêmio Qualidade Paraná, da International, Exporters Services (1991), Prêmio Abril de Jornalismo, Editora Abril (1992), Prêmio destaque de Jornalismo Econômico, Fiat Allis (1993), Prêmio Mercosul e o Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (1995), As mulheres pioneiras no jornalismo do Paraná, Conselho Estadual da Mulher do Paraná (1996), Mulher de Destaque, Câmara Municipal de Curitiba (1999), Reconhecimento profissional, Sindicato dos Engenheiros do Estado do Paraná (2005), Reconhecimento profissional, Rotary Club de Curitiba Gralha Azul (2005). Faz parte da publicação “Jornalistas Brasileiros – Quem é quem no Jornalismo de Economia”, livro organizado por Eduardo Ribeiro e Engel Paschoal que traz os maiores nomes do Jornalismo Econômico brasileiro.
https://www.miriangasparin.com.br

Deixe uma resposta

Top